Ana Catarina Nogueira continua a brilhar e chega à segunda final no World Padel Tour

Fotografia: Mijas Open/World Padel Tour

Um dia depois, há mais uma grande notícia para o padel nacional: Ana Catarina Nogueira e a espanhola Paula Josemaría Martín derrotaram a melhor dupla do circuito mundial de padel para carimbarem o acesso à final do Mijas Open 2019.

Um dia depois de terem derrotado a dupla composta por Majo Sánchez Alayeto (número 4 do mundo) e Delfina Brea (número 11 e antiga parceira da portuense), a portuguesa e a espanhola foram mais longe e levaram a melhor sobre a parceria que tem dominado a temporada de 2019: Marta Marreno (número 1 do mundo) e Marta Ortega (número 3), ao vencerem em apenas dois sets, pelos parciais de 6-3 e 6-2.

Com uma exibição extremamente autoritária, Ana Catarina Nogueira (atual número 16 do ranking mundial) e Paula Josemaría Martín (19.ª) chegam pela segunda vez na temporada à final de um torneio do World Padel Tour, repetindo a prestação do torneio de Bastad, na Suécia.

Para ir ainda mais longe, o conjunto ibérico terá de superar a outra dupla que tem brilhado no World Padel Tour esta época: as espanholas Alejandra Salazar (número 2 na classificação) e Ariana Sánchez (quinta melhor posicionada).

A final do Mijas Open está marcada para as 10h locais de domingo, 9h em Portugal Continental, e dá à atual tricampeã nacional (título que conquistou ao lado de Filipa Mendonça) nova possibilidade de se tornar na primeira padelista portuguesa de sempre a conquistar um título na principal divisão do circuito mundial de padel, depois de em novembro último se ter tornado na primeira a arrecadar um troféu em provas Challenger.

Última atualização às 18h02.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."