Argentina e Espanha vão jogar a final da quinta edição da Padel Nations Cup

Fotografia: Padel Nations Cup

A quinta edição da Padel Nations Cup começou bem, muito bem para as cores nacionais, mas a equipa portuguesa acabou por não conseguir repetir a surpresa da última temporada e foi derrotada nas meias-finais. Argentina e Espanha vão, assim, discutir o título na noite desta sexta-feira.

Novamente escolhidos para irem a jogo na Vale do Lobo Tennis Academy, no Algarve, onde há um ano tinham derrotado o Brasil (do então número um do mundo Pablo Lima Gervásio del Bono, agora selecionador português) para se tornarem na primeira dupla lusa a alcançar a final do torneio de exibição organizado pela Premier Sports, Vasco Pascoal e Miguel Oliveira ofereceram muito boa réplica à Argentina, do número 1 mundial Sanyo Gutiérrez e de Juan Tello, o 20.º do ranking.

Com um set praticamente irrepreensível, os padelistas portugueses ganharam vantagem no primeiro de dois encontros da jornada de quinta-feira e animaram (e muito) as bancadas da academia algarvia. Mas com o reatar do encontro o gás esgotou-se e, apesar de alguns pontos equilibrados e determinados momentos em que poderiam ter puxado a vantagem para o seu lado, deixaram de ter armas e soluções para fazerem frente à dupla sul-americana, que graças aos parciais de 3-6, 6-1 e 6-2 garantiu um lugar na decisão.

Na segunda meia-final, a vitória sorriu a um conjunto europeu: a Espanha, de Juan Martín Diaz (que liderou a tabela mundial durante 13 anos) e Alejandro Galán (vencedor do Masters de Buenos Aires), levou a melhor sobre o Brasil, de Pablo Lima (número um do mundo durante três épocas consecutivas) e Lucas Campagnolo, por 6-3, 3-6 e 6-2.

Às 21 horas desta sexta-feira, Portugal e Brasil vão discutir os terceiro e quarto lugares. Depois, nunca antes das 22h30, a campeã em título Espanha e a Argentina, recordista na Padel Nations Cup (graças aos títulos conquistados nas três primeiras edições), estarão frente a frente pela vitória deste ano.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."