Entre compatriotas: Guiomar Maristany junta-se a Eva Guerrero na final do Palmela Open

PALMELA — A final de singulares da segunda edição do Palmela Open vai ser discutida em castelhano: depois de Eva Guerrero Alvarez, também Guiomar Maristany Zuleta de Reales selou a passagem ao encontro de domingo, pelo que o título será entregue a uma jogadora do país vizinho.

Número 375 do ranking mundial WTA, a jovem tenista espanhola não começou nada bem o encontro e parecia encaminhada para uma derrota rápida e severa perante Yuliya Hatouka, uma das jogadoras que mais tinha impressionado até esta fase.

Mas depois do primeiro set o encontro mudou totalmente do rumo e passou a ser Maristany quem comandou os desenvolvimentos da partida: aliás, a tenista nascida em 1999 cedeu apenas um jogo até completar a reviravolta, acabando por vencer por 1-6, 6-0 e 6-1.

A final deste domingo será a quinta da carreira para Guiomar Maristany Zuleta de Reales, que até agora regista um saldo de duas vitórias e duas derrotas: foi campeã dos ITFs de 15.000 dólares em Telde (outubro de 2017) e Hammamet (maio de 2018) e finalista no ITF de 15.000 dólares de Madrid (junho de 2017) e do de 25.000 dólares em Las Palmas de Gran Canaria (agosto de 2018).

Este será o terceiro duelo entre Eva Guerrero Alvarez e Guiomar Maristany Zuleta de Reales: no primeiro, Guerrero venceu por 6-3, 1-6 e 7-6(6); no segundo, Maristany triunfou por 7-5 e 7-6(6). Ambos foram disputados em solo espanhol e em terra batida.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."