Eliminada em singulares, Inês Murta avança para as meias-finais de pares no Palmela Open

PALMELA — O Palmela Open vai continuar a ter representação portuguesa por pelo menos mais um dia: apesar de ter sido eliminada em singulares, Inês Murta assegurou a continuidade em prova na variante de pares, estando já apurada para as meias-finais.

A formar parceria com Andrea Ka, jogadora natural do Camboja que treina na LX Team há vários anos, a algarvia de 23 anos saiu por cima de um desafio equilibrado e bem disputado de ambas as partes, ao levar a melhor sobre as gaulesas Myrtille Georges e Julie Gervais por 6-1 e 7-6(4).

Esta é a segunda vez consecutiva que Inês Murta está apurada para as “meias” de pares de um torneio internacional feminino com 25.000 dólares em prémios monetários. Há duas semanas, em Corroios, jogou com Jacqueline Cabaj Awad e só foi travada no match tie-break pela compatriota Francisca Jorge e a espanhola Olga Parres Azcoitia.

Nas meias-finais, Murta e Ka vão ter como adversárias as segundas cabeças de série Estelle Cascino e Julia Terziyska. A francesa e a búlgara sobreviveram a um equilibrado e emocionante duelo com Andrea Lazaro Garcia e Sarah-Rebecca Sekulic, graças aos parciais de 7-6(3), 6-7(6) e 10-7.

A outra meia-final coloca frente a frente as primeiras cabeças de série, Sarah Beth Grey e Eden Silva, e as quartas, Yuliya Hatouka e Pei-Chi Lee.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."