20.ª edição do Porto Open marca o regresso ao Monte Aventino e a mudança de superfície

Mais um ano, mais um Porto Open prestes a começar — e desta vez recheada de novidades: a 20.ª edição do maior torneio da cidade do Porto vai regressar ao Complexo Desportivo do Monte Aventino, onde começou por ser disputado, e estrear uma nova superfície.

Marcado para a semana entre 22 e 28 de julho, o Porto Open 2019 será jogado nos novos courts de piso rápido que são resultado das renovações que estão a ser levadas a cabo pela Federação Portuguesa de Ténis — que assumiu a gestão e renovação do complexo em janeiro do último ano.

Antes, nos dias 20 (sábado) e 21 (domingo) de julho, a Associação de Ténis do Porto — entidade responsável pela organização do torneio — promove um torneio wild card que tem como prémios dois wild cards para cada um dos quadros principais de singulares.

Ao todo, estarão em jogo 50.000 dólares — 25.000 para os quadros femininos, 25.000 para os masculinos — naquele que é o único torneio internacional combinado a acontecer em solo português.

“Invasão” francesa e, claro, portuguesa

Na lista de inscritos para o quadro principal masculino destaca-se a forte afluência de tenistas franceses: o primeiro cabeça de série deverá ser Baptiste Crepatte (335.º ATP) e para além dele também Antoine Cornut Chauvinc, Albano Olivetti, Hugo Grenier e Rayane Roumane estão entre os pré-designados, sendo que Maxime Tchoutakian também tem um lugar garantido na grelha.

Entre os portugueses, Tiago Cação (553.º ATP e 136.º ITF) é o mais cotado entre os inscritos, seguido do atual vice-campeão Nuno Borges (649.º ATP e 152.º ITF), Fred Gil (667.º ATP e 53.º ITF), Daniel Batista (533.º ITF) e Luís Faria (681.º).

Nos dias (e horas) que antecedem a prova vão certamente verificar-se várias alterações, mas nos lugares reservados à fase de qualificação surgem, para já, Francisco Cabral, Fábio Coelho, Afonso Salgado, Gonçalo Falcão, Martim Leote Prata, Tomás Almeida, João Graça, Simão Alves e Paulo Fernandes.

No quadro feminino, a primeira pré-designada deverá ser a turca Pemra Ozgen (218.ª WTA), seguida da francesa Myrtille Georges (239.ª).

No que à comitiva portuguesa diz respeito, a bicampeã nacional absoluta Francisca Jorge (por intermédio da classificação ITF, em que figura na 47.ª posição) é a única com entrada já garantida na grelha principal mas receberá certamente a companhia de mais compatriotas por intermédio dos wild cards que a organização tem ao seu dispor.

Inês Murta, Sara Lança e Rita Pinto são as jogadoras com o nome na lista do qualifying.

Este ano, o Raquetc volta a ser media partner do Porto Open e estará no terreno a acompanhar o desenrolar da ação.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."