Doze vezes Nadal: ‘Touro de Maiorca’ conquista mais um título em Paris

Já começam a faltar palavras que descrevam a história praticamente perfeita de Rafael Nadal em Paris. O ‘Touro de Maiorca’ voltou a cimentar o seu domínio na sua “terra prometida” ao conquistar na tarde deste domingo o seu 12.º (!) título de Roland Garros.

Naquela que foi uma reedição da final da edição transata, o campeoníssimo espanhol confirmou o favoritismo com que partia para a discussão do título para derrotar Dominic Thiem, por 6-3, 5-7, 6-1 e 6-1, ao cabo de cerca de três horas de um duelo que, apesar da parte final do resultado não transparecer, foi extremamente equilibrado e contou com várias partes distintas.

Na fase inaugural da decisão, assistimos a trocas de bola muito longas e que começaram por ser vantajosas para Nadal. Porém, o primeiro a conseguir o break foi Thiem, que ao quinto jogo ficou logo com “a faca e o queijo na mão” para se colocar em vantagem. Contudo, tal é mais fácil dito do que feito e o número dois mundial respondeu logo de seguida com um contra break e a partir daí, apesar da intensidade de jogo imposta pelo austríaco e de ter estado sempre por dentro das jogadas, somou mais três jogos consecutivos rumo à vitória no primeiro set.

O segundo parcial contou, à semelhança do primeiro, com um nível bastante alto de parte a parte: pontos de cortar a respiração, trocas de bola muito exaustivas tanto física como psicologicamente, consistência de ambos da linha de fundo, sendo que tanto um como o outro iam repartindo o protagonismo no que diz respeito à conquista desse tipo de pontos espetaculares.

Assim, foram “pequenos detalhes” que ditaram o desfecho do set, com Dominic Thiem a aproveitar um jogo de serviço menos conseguido de Rafael Nadal quando este servia para se manter no parcial para não só fazer o 7-5 e empatar a contenda como também vencer o seu primeiro set em Roland Garros contra o espanhol em 11 disputados até então e tornar-se no primeiro jogador com menos de 30 anos no ativo a ganhar um parcial numa final desta dimensão.

Depois, veio a “segunda parte” desta final. Nadal entrou com tudo e com a obtenção de dois breaks consecutivos logo no começo do set depressa se viu com uma vantagem de 4-0 que “deitou por terra” qualquer aspiração de Thiem, que ainda viria a sofrer nova quebra de serviço a 1-5, ficar com uma liderança de 2-1 no marcador.

Mantendo a tendência da terceira partida, o atleta natural de Manacor foi capaz de continuar por cima da maior parte dos jogos de serviço e por isso acabou por ser ele uma vez mais a fazer a diferença quando mais era necessário: com um break fundamental no segundo jogo, Rafael Nadal confirmou essa vantagem e puxou para si um avanço importantíssimo que foi capaz de gerir (e cimentar posteriormente) até ao fim do set para celebrar novo triunfo na capital gaulesa e continuar a fazer história no Grand Slam parisiense.

Com mais um domingo glorioso em Paris, Nadal continua invicto em finais de Roland Garros e chega às 94 vitórias individuais em Paris e à dúzia de títulos só no Major francês, aumentando para 18 o número de troféus desta categoria que agora detém (apenas menos dois do que Roger Federer). No total, o espanhol, que assegura o seu segundo título do ano e sagra-se tricampeão do torneio gaulês, conta com 82 títulos ATP em 119 finais disputadas.

Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.