Ashleigh Barty impõe-se em final de estreantes para conquistar o título em Roland Garros

Ashleigh Barty é o nome do momento no circuito feminino: a jovem australiana — que entre 2014 e 2016 chegou a deixar o ténis para se dedicar ao cricket profissional — conquistou este sábado o seu primeiro título do Grand Slam de singulares de forma esclarecedora, em Roland Garros,, e assegurou ao mesmo tempo que será a nova número dois mundial a partir de segunda-feira.

Numa final entre duas estreantes (Barty só no último Australian Open chegou pela primeira vez aos quartos de final e a sua adversária tinha como melhor resultado os oitavos de final do US Open 2018), a tenista natural de Ipswich revelou-se muito mais à vontade em campo e controlou bastante melhor as emoções para bater Marketa Vondrousova por 6-1 e 6-3 ao cabo de uma hora e 12 minutos de jogo.

Depois do US Open de 2014, a jovem australiana anunciou que ia fazer uma pausa na carreira de tenista e acabou a jogar cricket profissional durante dois anos, primeiro pelas Brisbane Heat e depois pelas Queensland Fire, regressando em fevereiro de 2016.

O primeiro set não poderia ter começado de melhor forma para a número oito mundial, que num ápice se viu com uma liderança de 4-0. A variar bem o ritmo do encontro e psicologicamente mais estável, Barty explorou e de que maneira os nervos da teenager Vondrousova (tem 19 anos) para conseguir para o seu lado uma importante vantagem.

Na segunda partida, a jogadora checa oriunda de Sokolov foi paulatinamente entrando em jogo e começou inclusivamente a discutir os jogos de serviço de ‘Ash’ Barty. Contudo, o próprio serviço da 38.ª WTA acabou por deixá-la mal e ficou patente que seria apenas uma questão de tempo até a criação de um novo fosse no resultado. Tal seria consumado ao nono jogo, em que a mais cotada voltou a conseguir o break para dar a “machadada final” e celebrar o triunfo.

Com esta coroação de uma quinzena inesquecível que a vê entrar na história das campeãs de eventos Major, Ashleigh Barty também se torna na primeira aussie desde Samantha Stosur (US Open 2011) a conquistar um título do Grand Slam e mantém a tendência recente das estreantes em finais vencerem provas desta categoria logo à primeira tentativa.

Quando o ranking WTA foi atualizado na segunda-feira, a australiana de 23 anos estará a apenas 137 pontos da número um do mundo, Naomi Osaka, isto numa altura em que o circuito entra na sua fase favorita: a temporada de relva.

Última atualização às 16h54.

Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.