Surpresa? Nem por isso: Dominic Thiem nas meias-finais de Roland Garros pelo quarto ano consecutivo

Um, dois, três, quatro. Quatro anos, quatro meias-finais para Dominic Thiem em Roland Garros.

O tenista austríaco é cada vez mais um dos melhores do mundo sobre o pó de tijolo e esta quinta-feira voltou a prová-lo, ao derrotar Karen Khachanov por 6-2, 6-4 e 6-2.

Depois da desilusão em Roma, onde caiu à primeira, Dominic Thiem está novamente a jogar o seu melhor ténis e colocou um ponto final na série de 10 triunfos do próximo “papá” do circuito em Paris, onde em novembro tinha vencido o primeiro ATP Masters 1000 da carreira.

Se foi uma surpresa? Claro que não. O austríaco de 25 anos é um dos que apresenta mais argumentos frente aos “Big 3”, tem na capital francesa a maior oportunidade de conquistar um título do Grand Slam — apesar do maior título da carreira ter chegado, este ano, nos pisos rápidos do deserto de Indian Wells — e este irrepreensível para afastar o jovem russo, de dois anos mais novo, ao fim de 1h47 de jogo no Court Suzanne-Lenglen.

O que são boas notícias, porque devido ao mau tempo terá apenas um dia para recuperar: Dominic Thiem voltará à ação já na sexta-feira para lutar pelo segundo apuramento consecutivo para a final de Roland Garros. O adversário? Ou Alexander Zverev ou Novak Djokovic, que o travou nas primeiras meias-finais que disputou (em 2016, ano em que o sérvio acabaria mesmo por conquistar o título).

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."