Djokovic volta a vencer e faz o que nem Nadal conseguiu em Roland Garros

Esperavam-se algumas dificuldades, mas Novak Djokovic sacudiu-as para trás do ombro depois dos primeiros jogos e somou mais um triunfo muito tranquilo para chegar aos quartos de final de Roland Garros.

O sérvio está nesta fase do torneio pela 10.ª vez consecutiva, o que constituiu um novo recorde no circuito masculino — um que nem o Rei da Terra Batida, Rafael Nadal, conseguiu alcançar.

Campeão em título de Wimbledon, US Open e Australian Open, o número um do mundo procurava dar mais um passo rumo ao segundo troféu da carreira em Roland Garros e fê-lo de forma bastante tranquila: despachou Jan-Lennard Struff em apenas 93 minutos, parciais de 6-3, 6-2 e 6-2.

A campanha do alemão fazia prometer um encontro mais equilibrado, ainda para mais num dia em que as condições de jogo mudaram drasticamente (para desagrado de Djokovic), mas o sérvio foi mais rápido a ler o jogo do adversário e o break conseguido ao sétimo jogo do parcial inaugurado foi uma espécie de machadada afinal. A partir daí, Struff deixou de ter pernas, cabeça e consequentemente soluções para combater o líder do ranking.

Esta é a terceira vez na carreira que Novak Djokovic soma 25 triunfos consecutivos em torneios do Grand Slam. Já o tinha feito entre Wimbledon 2011 e Roland Garros 2012, sequência que lhe valeu 27 triunfos, e entre Wimbledon 2015 e 2016, quando chegou mesmo às 30 vitórias consecutivas.

Para continuar a somar alegrias, o primeiro cabeça de série terá de passar ou por Fabio Fognini, ou por Alexander Zverev num encontro dos quartos de final que já lhe deverá apresentar mais dificuldades, mas o nível a que se tem exibido em Paris — e um pouco por todo o mundo — faz com que mesmo contra adversários de maior calibre isso não seja uma garantia.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."