Federer volta a desfilar para regressar aos quartos de final em Roland Garros — e agora sim, começam os desafios

Roger Federer continua sem ceder um único set no regresso a Roland Garros e este domingo qualificou-se pela segunda vez consecutiva para os quartos de final — ainda que entre as duas prestações exista um vazio de três anos.

Depois de Lorenzo Sonego, Oscar Otte e Casper Ruud, a vítima deste domingo foi Leonardo Mayer. Exausto e sem soluções táticas, o argentino foi presa fácil e acabou derrotado ao fim de apenas 1h42, parciais de 6-2, 6-3 e 6-3.

Com um total de 30 winners e 82% dos pontos ganhos no primeiro serviço, Roger Federer deu-se bem em 19 das 27 vezes que subiu à rede e converteu 5 dos 10 break points de que dispôs. Mais do que isso, não enfrentou um único e assim conseguiu inscrever o nome nos quartos de final de Roland Garros pela 12.ª vez na carreira — a quinta sem ceder um único set, tal como em 2005 (meias-finais), 2007 (final), 2010 (quartos de final) e 2011 (final).

Superada a primeira semana, está na altura dos verdadeiros desafios.

As quatro primeiras exibições de Roger Federer não deixam margem para dúvidas: aos 37 anos, o helvético tomou uma boa decisão ao voltar a apostar no pó de tijolo, sendo estes os terceiros quartos de final que alcança nos três torneios disputados (em Madrid foi travado por Dominic Thiem, em Roma desistiu antes de defrontar Stefanos Tsitsipas).

Mas só agora, com a segunda semana, chega a altura dos verdadeiros desafios — aqueles de que todos falam quando os quadros são sorteados. E a Federer pode calhar um reencontro com o compatriota Stan Wawrinka, o mesmo que o afastou naquela que até este ano era a sua última exibição em Paris.

O campeão de 2015 mede forças nos oitavos de final com Stefanos Tsitsipas (um encontro que à hora de publicação deste artigo até já ia no segundo set) e é o favorito de Federer para vencer, ou não fossem eles dois grandes amigos.

Depois, numas eventuais meias-finais, Roger Federer poderá ter pela frente nada mais, nada menos do que o por 11 vezes campeão Rafael Nadal, não esquecendo uma possível final com Novak Djokovic. Não passam de projeções, claro, mas deixam bem evidente o nível de exigência necessário daqui para a frente.

Para já, certo é o igualar do recorde de mais quartos de final disputados em torneios do Grand Slam… em toda a história. A vitória deste domingo deu a Roger Federer a passagem aos quartos de final pela 54.ª vez, ultrapassando Martina Navratilova e igualando Chris Evert.

54 – Roger Federer, Chris Evert
53 – Martina Navratilova
50 – Serena Williams
43 – Novak Djokovic*, Margaret Court
42 – Steffi Graf
41 – Jimmy Connors
40 – Billie Jean King
39 – Venus Williams
27 – Rafael Nadal*, Roy Emerson

* ainda têm os oitavos de final desta edição de Roland Garros por disputar.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."