Desistências já confirmadas teriam sido suficientes para Pedro Sousa jogar em Roland Garros

Pedro Sousa 3
Fotografia: Fernando Correia/Lisboa Belém Open

Primeiro Tomas Berdych, depois Milos Raonic. Num só dia, o torneio de Roland Garros perdeu dois nomes sonantes para o quadro principal masculino, desistências que se tivessem sido consumadas dias antes teriam sido suficientes para Pedro Sousa ir a jogo em Paris.

O tenista lisboeta de 30 anos (número 125 do ranking ATP) sofreu uma entorse no pé esquerdo durante o encontro de estreia no Millennium Estoril Open e teve de desistir da fase de qualificação de Roland Garros por ainda não estar recuperado, mas tudo indicava que uma semana extra de repouso e preparação lhe teria possibilitado regressar à competição do quadro principal do Grand Slam francês.

No entanto, para isso acontecer Pedro Sousa precisava que se verificassem três desistências até às 10h de segunda-feira em Paris (9h em Portugal Continental), altura em que começaram os primeiros encontros da fase de qualificação. Se acontecessem, o número dois nacional teria entrada direta no quadro;

Mas Berdych e Raonic — que tentaram até à última hora ir a jogo — só retiraram os nomes do torneio depois desse deadline, o que significa que para o seu lugar entrarão lucky losers, isto é, jogadores que percam na terceira e última ronda do qualifying.

No início de 2018, os torneios do Grand Slam implementaram uma nova regra que permite aos jogadores recolherem metade (23.000 euros) do prize-money relativo à presença na primeira ronda caso estejam lesionados e optem por desistir antes de irem a jogo. A desistência tem de ser feita no torneio — razão que esta sexta-feira levou a britânica Katie Boulter a viajar de Londres para Paris — e esta nova linha nos regulamentos tem como objetivo principal evitar que os tenistas entrem em campo apenas para recolher o cachet, permitindo assim que outros, aptos fisicamente, ocupem os seus lugares como lucky losers.

João Domingues foi afastado na segunda ronda do qualifying, pelo que João Sousa será o único representante português em ação nos quadros principais. O vimaranense inicia a campanha frente a um amigo e parceiro de pares.

Entretanto, também Nick Kyrgios desistiu da edição de 2019 de Roland Garros. Há dias, o australiano tinha partilhado, no Instagram, um vídeo enquanto se preparava para treinar com Andy Murray nos courts de terra batida verde de Wimbledon, vídeo esse em que considerou o evento gaulês “uma porcaria”.

O australiano teria sido um dos cabeças de série se não tivesse sido desqualificado no Masters 1000 de Roma, uma penalização que o fez perder esses pontos e, assim, descer para 36.º na atualização do ranking da última segunda-feira.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."