Federer e Nadal na mesma metade do quadro, Djokovic com a estreia mais difícil

Quatro anos depois, Roger Federer vai regressar a Roland Garros e já conhece o primeiro adversário. No ano em que celebra o 10.º aniversário da única conquista no Major francês, o suíço “caiu” na metade de Rafael Nadal, onde também está João Sousa, enquanto Novak Djokovic tem do seu lado o vice-campeão da última edição.

A cerimónia aconteceu no Jardin des Serres d’Auteuil, que a partir de 2019 passa a fazer parte do Stade Roland Garros devido à construção de um terceiro e encantador court rodeado de plantas de todo o mundo, e contou com a presença de Teddy Riner, o conceituado judoca que ajudou a sortear os nomes — os poucos que restaram de um ritual cada vez mais informatizado.

Apesar de não ter saído — tal como nos restantes sorteios, também este começa por dar a conhecer a ordem dos jogadores que não são cabeças de série —, Novak Djokovic foi o primeiro a ter um adversário definido. O sérvio, que já venceu o torneio em 2016, defende o estatuto de primeiro pré-designado e vai estrear-se contra Hubert Hurkacz, o perigoso polaco que foi um dos primeiros a ficar de fora da lista de candidatos (é o 43.º do ranking).

Do possível caminho de Djokovic destaca-se um encontro com Gilles Simon na terceira ronda, podendo verificar-se um “choque” com Borna Coric nos oitavos de final seguido de duelos com Alexander Zverev (ou Fabio Fognini…) e Dominic Thiem (vice-campeão de 2018) nos quartos de final e meias-finais, respetivamente.

A metade inferior do quadro ficou reservada aos dois maiores campeões masculinos da história no que a torneios do Grand Slam diz respeito. Rafael Nadal, que já venceu por 11 vezes em Paris e tem um total de 17 títulos a este nível, é o segundo cabeça de série e vai ter de esperar pela conclusão do qualifying para conhecer não só o primeiro adversário como um possível segundo;

Roger Federer, por sua vez, vai realizar o primeiro encontro dos últimos quatro anos em Roland Garros frente a Lorenzo Sonego, o italiano que figura no 73.º posto do ranking e se destacou ao chegar aos quartos de final do Masters 1000 de Monte Carlo desde a fase de qualificação.

Se vencer, o helvético — que tem um total de 20 títulos do Grand Slam — começará a desenhar um percurso que o pode cruzar com Malek Jaziri e Mateo Berrettini nas rondas seguintes e Marco Cecchinato ou Diego Schwartzman nos oitavos de final, sendo possível um reencontro com Stefanos Tsitsipas (que o derrotou no Australian Open) logo a seguir, nos quartos de final.

Já Rafael Nadal, sabe que pode encontrar David Goffin na terceira ronda e Nikoloz Basilashvili ou Guido Pella na quarta, tendo no seu caminho dos quartos de final possíveis duelos com Kei Nishikori ou Daniil Medvedev.

É nesse quarto do quadro que está também João Sousa, o número um nacional que ficou a saber que terá como primeiro adversário o bom amigo (e até parceiro de pares) Pablo Carreño Busta, tal como ele um campeão do Millennium Estoril Open.

Da primeira eliminatória destacam-se vários duelos:

  • Janko Tipsarevic vs. Grigor Dimitrov
  • Alexei Popyrin vs. Ugo Humbert
  • Shapovalov vs. Struff
  • Fabio Fognini vs. Andreas Seppi
  • Taylor Fritz vs. Bernard Tomic
  • Cameron Norrie vs. Nick Kyrgios
  • Juan Martin del Potro vs. Nicolas Jarry
  • Frances Tiafoe vs. Filip Krajinovic
  • Diego Schwartzman vs. Marton Fucsovics
  • Pierre-Hughes Herbert vs. Daniil Medevedev

Quadro principal de singulares masculino (clique para aumentar):

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."