João Sousa repete triunfo da final do Millennium Estoril Open e marca encontro com Roger Federer

Fotografia: Fernando Correia/Millennium Estoril Open

Um ano e duas semanas depois, João Sousa e Frances Tiafoe voltaram a cruzar caminhos e foi novamente o português quem venceu. Desta vez no Internazionali BNL d’Italia, o ATP Masters 1000 de Roma, para marcar encontro com Roger Federer na segunda eliminatória.

Menos de 24 horas depois de ter sido derrotado à primeira no quadro de pares, onde procurava defender os pontos relativos à (histórica) final alcançada há um ano, ao lado de Pablo Carreño Busta, o melhor tenista português de todos os tempos resistiu a uma autêntica batalha: derrotou o jovem norte-americano por 6-3, 6-7(3) e 7-6(4) depois de salvar quatro match points ao 12.º jogo do terceiro set e de recuperar de uma desvantagem de 4-1 no tie-break decisivo.

Esta é a segunda vez que João Sousa alcança a segunda ronda do quadro principal de singulares na capital italiana (a primeira aconteceu em 2016, acabando derrotado por Dominic Thiem), ele que há um ano foi afastado na última ronda da fase de qualificação.

O duelo de quarta-feira será o segundo da história entre João Sousa e Roger Federer. No primeiro, jogado no torneio de Halle em 2014, o português ainda começou por “roubar” um set ao suíço antes de sofrer a reviravolta e ser eliminado com os parciais de 6-7(8), 6-4 e 6-2.

Ainda que poucas, a vitória já faz João Sousa subir duas posições, pelo que independentemente do que aconteça ao longo da semana o vimaranense já tem garantido o regresso ao top 70 — tendo caminho livre para continuar a somar pontos ao longo dos próximos torneios.

Última atualização às 15h33.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."