Campeão Tommy Robredo lesionou-se e acabou por desistir no regresso ao Lisboa Belém Open

Fotografia: Beatriz Ruivo/Lisboa Belém Open

LISBOA — Não correu bem o regresso de Tommy Robredo (226.º ATP) ao Lisboa Belém Open. Um ano depois de ter colocado um ponto final no longo jejum de títulos, o tenista espanhol de 37 anos lesionou-se e acabou por ter de desistir em pleno encontro da primeira ronda, que tinha sido escolhido como um dos pratos fortes da jornada.

Depois da desilusão em Braga, onde caiu à primeira para Mario Vilella Martinez, o ex-top 5 ATP voltou a ter um resultado desapontante, este muito por culpa da má sorte que teve — Tommy Robredo lesionou-se no tornozelo logo ao primeiro ponto do duelo com Maxime Janvier (199.º), ainda tentou mas viu-se forçado a desistir quando o jogador gaulês já liderava por 5-1 na primeira partida.

Este resultado significará uma queda de mais de 50 posições para o veterano tenista espanhol, que poderá até deixar o top 280 (para já desce para o 279.º lugar, posição que pode piorar consoante os resultados de outros tenistas ao longo da semana).

Quanto a Maxime Janvier, já sabe que terá como próximo adversário o norte-americano Bjorn Fratangelo, que depois de defender o estatuto de primeiro cabeça de série em Braga surge em Belém como o sexto pré-designado.

A jornada inaugural do terceiro Lisboa Belém Open viu ainda seguirem em frente Roberto Marcora (4-6, 7-5 e 6-3 a Johan Tatlot), Mohamed Safwat (7-5 e 6-3 perante Gregoire Jacq), Roberto Quiroz (7-5 e 6-1 sobre Kenny De Schepper), Andrea Arnaboldi (6-3, 1-6 e 6-3 sobre Raul Brancaccio), Norbert Gombos (6-2 e 7-5 perante Javier Barranco), Bernabé Zapata Miralles (6-3 e 6-2 frente a Mikael Torpegaard), e Evgeny Karlovskiy (6-0 e 6-3 a Riccardo Bonadio).

A armada lusa registou um saldo positivo: Luís Faria foi eliminado na primeira e única ronda do qualifying, mas Tiago Cação e Gastão Elias foram bem sucedidos nas respetivas estreias no quadro principal de singulares.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a histórias, a recordes. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais — por isso depois chegaram o padel, o ténis de mesa e o squash. E assim cá estamos, no Raquetc ("raquetecétera"). Como escreveu Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."