O número 1 caiu: Medvedev supera-se, surpreende Djokovic e está nas meias-finais

Os favoritos continuam a cair e esta sexta-feira foi a vez do ex-campeão e atual número 1 do mundo, Novak Djokovic, dizer adeus ao Masters 1000 de Monte Carlo.

O campeão de 2013 e 2015 tinha o favoritismo do seu lado, sobretudo depois de uma vitória tão convincente quanto a que alinhou sobre Taylor Fritz (6-3 e 6-0) na jornada anterior. Mas de favoritismos não se fazem vencedores.

Daniil Medvedev, o talentoso russo que no principado está a passar de besta a bestial em terra batida (até chegar ao Mónaco somava apenas dois triunfos em encontros disputados ao mais alto nível em terra batida, contra 74 em piso rápido), prolongou a campanha que iniciara com uma clara vitória sobre João Sousa ao vencer o líder o ranking por 6-3, 4-6 e 6-2 num encontro em que até precisou de ser assistido às duas pernas.

Desde janeiro, quando venceu o Australian Open, que Novak Djokovic não vai além dos quartos de final nos torneios em que participa.

Para além do parco registo no pó de tijolo (2-11), também a campanha frente a jogadores do top 10 (1-11) jogava contra Daniil Medvedev à entrada para o Rolex Monte-Carlo Masters, mas as vitórias consecutivas frente Stefanos Tsitsipas e Novak Djokovic dão um embalo sem precedentes ao jovem russo — que entretanto já é o jogador com mais vitórias no circuito em 2019 (21, superando as 18 de Roger Federer).

Agora, segue-se o inédito duelo com o sérvio Dusan Lajovic, que também está a surpreender no primeiro duelo da jornada afastou Lorenzo Sonego por 6-4 e 7-5. Será o maior encontro das carreiras de ambos os jogadores, ou não estivesse em jogo a presença na final de um dos maiores torneios do mundo.

Novak Djokovic em 2019:

– Meias-finais em Doha (perdeu para Roberto Bautista Agut)
– Campeão do Australian Open
– Terceira ronda em Indian Wells (perdeu para Philipp Kohlschreiber)
– Quarta ronda em Miami (perdeu para Roberto Bautista Agut)
– Quartos de final em Monte Carlo (perdeu para Daniil Medvedev)

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."