João Domingues chega às primeiras meias-finais do ano com vitória dramática

AI_Joao_Domingues_07
Fotografia: Álvaro Isidoro/Millennium Estoril Open

Foram precisas mais de três horas em campo e muitas alterações no rumo do marcador, mas João Domingues conseguiu mesmo carimbar mais uma vitória para chegar pela primeira vez em 2019 às meias-finais de um torneio Challenger (em Tunes, Tunísia).

O tenista português de 25 anos (número 221 do ranking ATP) venceu um encontro impróprio para cardíacos frente ao italiano Gian Marco Moroni (271.º) quando o relógio do court apontava 3h01 de encontro. Os parciais? 5-7, 6-4 e 7-5.

Apesar de se ter desenrolado de forma dramática, o encontro nem sempre foi equilibrado e quer para um lado, quer para o outro momentos houve em que a situação seria rapidamente resolvida. João Domingues que o diga: o oliveirense entrou com tudo e poucos minutos depois do primeiro encontro já liderava o primeiro set por 5-1, mas o impensável aconteceu e cedeu seis jogos consecutivos.

Com a recuperação notável, Moroni ganhou fôlego e ânimo e entrou melhor no parcial decisivo, obtendo mesmo uma quebra de serviço que o deixou a três jogos da vitória. Mas aí foi a vez do número três fazer das suas, ao vencer cinco dos últimos seis jogos para igualar o encontro.

Se os dois primeiros parciais foram dramáticos pela forma como quer um, quer outro recuperaram de situações desfavoráveis, o terceiro ficou marcado pelo equilíbrio constante e as dificuldades que Domingues e Moroni sentiram para segurarem os seus jogos de serviço. Até que 180 minutos depois de vencer o primeiro ponto, o português pôde celebrar o último de forma efusiva — e não é para menos: é a primeira vez em 2019 que chega às meias-finais de um torneio Challenger.

Com vitórias sobre Kevin Krawietz, Guillermo Garcia-Lopez, Federico Coria e Gian Marco Moroni (as últimas três em três sets), João Domingues fica a um passo da grande final. Para isso, terá de vencer um duelo falado em português frente a Thomaz Bellucci, tenista brasileiro que já deixou pelo caminho Quentin Halys, Ruben Bemelmans (sétimo e nono cabeças de série) e, esta sexta-feira, Attila Balazs.

Para além dele, há outro português apurado para as meias-finais de um torneio Challenger: na China, Gonçalo Oliveira também somou a quarta vitória consecutiva para alcançar o melhor resultado da carreira de singulares em provas deste circuito.

Atualizado às 14h23.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."