O regresso que foi um adeus: Almagro disputou o último encontro da carreira

Ponto final. Um dia depois de ter anunciado a despedida dos courts, Nicolás Almagro realizou esta terça-feira o último encontro de singulares como tenista profissional. O espanhol de 33 anos tinha como desejo apresentar-se pela última vez em campo perante a sua família e amigos, pelo que o Challenger de Múrcia (de onde é natural) foi o cenário perfeito.

Perante o compatriota Mario Villela Marti (262.º ATP), o murciano não foi capaz de discutir o rumo do encontro, que terminou com um 6-2 e 6-2 contra ao fim de apenas uma hora. Foi, por isso, o colocar de um ponto final numa das mais brilhantes carreiras do ténis castelhano, ano e meio depois do último triunfo de Nicolás Almagro, diante do também já aposentado Julien Benneteau.

Detentor de uma das mais eficazes esquerdas a uma mão, Nicolas Almagro alcançou grandes feitos ao longo do percurso de 16 anos ao mais alto nível. De um vasto currículo destacam-se a conquista de 13 títulos em torneios de categoria ATP num total de de 23 finais disputadas. Dentro desse número de troféus, nota especial para a conquista do Millennium Estoril Open em 2016, precisamente a última do murciano.

Numa longa reflexão deixada no Twitter, Nicolás Almagro já se tinha mostrado “orgulhoso por ter vivido e feito parte de uma era histórica deste desporto, com rivais que me fizeram crescer e que por mérito próprio estão no lugar mais alto da história do ténis e do desporto em geral”.

Apesar de ter sido sistematicamente vitimado pelas lesões nos últimos dois anos, o espanhol foi um autêntico guerreiro. Lutou até ao último suspiro.

Daniel Basto
Fundador do projeto InCourt. Colabora com o Raquetc desde março de 2019.