Portugal termina qualificação para o Mundial de Ténis em Cadeira de Rodas na 12.ª posição

Terminou este sábado a terceira participação consecutiva de Portugal numa fase de qualificação para o Campeonato do Mundo de Equipas de Ténis em Cadeira de Rodas disputada em solo português. Tal como em 2017 e 2018, a Vilamoura Tennis & Padel Academy voltou a receber a etapa de qualificação europeia que desta feita terminou com a equipa da casa no 12.º lugar da classificação geral.

À semelhança do que aconteceu nos dois anos anteriores, a seleção masculina de Portugal não conseguiu ultrapassar a equipa da Croácia, que voltou a recuperar de uma situação de desvantagem para sair a sorrir.

O vice-campeão nacional Carlos Leitão até começou por vencer (6-3 e 6-3 perante Jozo Milos), mas Jean-Paul Mélo não conseguiu conquistar mais uma alegria para a equipa portuguesa e perdeu por 6-1 e 6-4 para Anto Josik. Depois, a Croácia consumou a reviravolta graças ao triunfo de Milos/Josik por 6-3 e 6-2 sobre João Sanona e Francisco Aguiar.

Apesar do desaire, o selecionador nacional Joaquim Nunes fez um balanço positivo “porque apesar desta classificação os jogadores esforçaram-se bastante.” Para o responsável pelo ténis adaptado em Portugal, em 2020 o nível de exigência terá de ser maior, uma vez que Portugal vai organizar a fase final do Campeonato do Mundo.

A vitória na fase de qualificação europeia coube à equipa da Áustria, que passou pela Grécia. A seleção favorita entrou bem e venceu o primeiro singular (Josef Riegler d. Giorgios Lazaridis por 6-0 e 6-3), mas o número 18 do ranking mundial, Stefanos Diamantis, superou Nico Langmann (21.º) por 6-2, 4-6 e 6-2 para igualar a decisão, que coube então à dupla Nico Langmann/Martin Legner resolver para o lado austríaco, graças aos parciais de 6-1 e 7-5 frente aos mesmos tenistas gregos que já tinham disputado os encontros de singulares e acusaram o desgaste de uma longa semana.

A prova feminina sorriu à Rússia, que também venceu a sua final por 2-1 contra a Itália. Viktoria Lvová (16.º do ranking) surpreendeu a número 5 Giulia Capocci (7-5, 1-6 e 6-3) e depois Marianna Lauro igualou o confronto graças aos parciais de 6-1 e 6-4 perante Liudmila Bubnová, pelo que também nesta decisão foi necessário o encontro de pares para se conhecerem as vencedoras: 7-6(8), 4-6 e [10-8] foi o resultado que deu à equipa de leste o título e respetiva qualificação.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."