Portugal termina Campeonato Europeu de Squash por Equipas na quarta posição

LISBOA – Chegou ao fim a prestação histórica da seleção nacional feminina no Campeonato Europeu de Squash por Equipas da 3.ª divisão. No derradeiro dia de competição no Lisboa Racket Centre, Portugal não conseguiu a vitória e terminou no honroso quarto lugar.

Arredada da discussão do título no final da jornada de sexta-feira, a seleção nacional só podia aspirar à terceira posição mas para isso tinha de vencer a Noruega, uma equipa que se previa difícil de ultrapassar e que dentro do campo acabou por confirmá-lo: Melanie Moore derrotou Beatriz Dias em três sets (11-3, 11-9 e 11-3) e Madeleine Hylland levou a melhor sobre Catarina Nunes em quatro (11-5, 6-11, 11-8 e 11-2) para colocarem um ponto final na campanha do conjunto liderado por Luís Carvalho.

Apesar da derrota no derradeiro encontro, Portugal tem mais do que razões para sair do Lisboa Racket Centre de cabeça erguida: há mais de 20 anos que o país não apresentava uma equipa feminina e terminar o Campeonato Europeu de Squash por Equipas da 3.ª divisão na quarta posição significou não só uma superação das expetativas como reforçou que este é “um grupo de futuro para trabalhar”, como já tinha dito o Presidente da Federação Nacional de Squash, Luís Ferreira, ao Raquetc na jornada de sexta-feira.

O Campeonato Europeu de Squash por Equipas da 3.ª divisão conclui-se na tarde deste sábado, com a disputa dos restantes encontros de apuramento de posições e, claro, as duas grandes finais: na competição feminina Áustria e Rússia vão lutar pelo título, enquanto no quadro masculino o título será discutido pela Áustria e Polónia.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."