Ténis em Cadeira de Rodas. Portugal falhou a segunda vitória e vai lutar pelo 9.º lugar

Derrota, vitória, derrota. Foi com saldo negativo que Portugal terminou a fase de qualificação Campeonato do Mundo de Equipas de Ténis em Cadeira de Rodas, o que significa que ainda não será desta que o conjunto da casa sairá da Vilamoura Tennis & Padel Academy com dois triunfos nesta etapa.

Liderado por Joaquim Nunes, o conjunto luso não conseguiu repetir o resultado da jornada anterior e acabou pela Eslováquia (3-0), que com este resultado causou a surpresa da competição para se apurar para as meias-finais, onde também estão Áustria, Itália e Grécia.

No primeiro duelo da jornada, o selecionador nacional tentou a surpresa com a chamada a jogo de João Sanona em detrimento do tetracampeão nacional Jean-Paul Mélo mas aposta inesperada não se revelou suficiente: Tomas Masaryk acabou mesmo por vencer, pelos parciais de 6-3 e 6-4.

Esse era, de acordo com Joaquim Nunes, o encontro chave para Portugal poder sonhar com uma surpresa, visto que no duelo que se seguiu o top 50 mundial Marek Gergely não deu hipóteses ao vice-campeão nacional Carlos Leitão, vencendo por 6-0 e 6-0. Num par já sem efeito, Jean-Paul Mélo e Francisco Aguiar começaram bem na primeira aventura lado a lado mas não conseguiram ter gás para toda a luta e perderam por 7-5 e 6-0.

Com a segunda derrota em três encontros da fase de grupos, a seleção nacional masculina é relegada para um play-off de definição do 9.º ao 12.º lugares. A primeira adversária será a República Checa, já esta sexta-feira, e as contas são simples: quem vencer lutará pelo 9.º lugar, quem perder pelo 11.º.

No torneio feminino, em que Portugal não apresenta uma seleção, as meias-finais colocam frente a frente Rússia-Túrquia e Itália-Dinamarca.

Recorde-se que tanto numa competição quanto na outra apenas os dois conjuntos finalistas garantem um lugar nas fases finais do Campeonato do Mundo de Equipas de Ténis em Cadeiras de Rodas.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."