João Sousa: 30 anos e 30 factos

Joao Sousa5
Fotografia: Millennium Estoril Open

[texto inicialmente publicado no website da Federação Portuguesa de Ténis]

João Sousa completa hoje 30 anos e a passagem deste aniversário representa a idade da maturidade e consolidação do melhor tenista português de sempre, que colocou em lugar de destaque o nome de Portugal por esse mundo fora.

Fruto da sua inegável ambição, o vimaranense foi ultrapassando barreiras, por vezes consideradas impensáveis, construindo uma bonita carreira que enche de orgulho os adeptos do ténis nacional.

Tem uma enorme legião de fãs e a sua sinceridade vai de encontro aquilo que ele nos habituou desde muito cedo nos treinos e na competição: é um guerreiro, que ganhou o estatuto de “Conquistador” , quando passou a somar vitórias atrás de vitórias, derrotando gente importante.

Esta efeméride não poderia passar despercebida e em analogia com os seus 30 anos fomos encontrar 30 factos que julgamos interessantes na carreira de João Sousa.

A nossa escolha:

1 – Início: João Pedro Coelho Marinho de Sousa começou a jogar ténis com 5 anos pela mão de seu pai, Armando Marinho Sousa.

2 – Clube: Clube de Ténis de Guimarães, onde seu pai jogava frequentemente torneios de veteranos, chegando a entrar em competições de inter-clubes.

3 – Treinadores: Luís Miguel Coutinho fez a formação de João Sousa, e depois seguiram-se Nuno Marques no Centro de Ténis da Maia, Pedro Cordeiro. Álvaro Margets, Francisco Roig e Frederico Marques.

4 – Títulos de campeão nacional: Sub-12 em 2001, no Estádio Nacional, e Nacional Absoluto, Taça Guilhermo Pinto Basto, em 2017, na Beloura Tennis Academy.

5 – Vitórias em torneios ATP (todos de categoria 250): 3. Millennium Estoril Open (2018), Valência (2015) e Kuala Lumpur (2013).

6 – Finalista em 7 ocasiões: Kitzbüel e Auckland (2017); St. Peterburgo, Umag e Genebra (2015); Metz e Bastad (2014).

7 – Melhor ranking de sempre em singulares: 28º, a 16 de maio de 2016.

8 – Melhor ranking de sempre em pares: 32º, a 28 de janeiro de 2019.

9 – Vitórias em torneios da categoria Challenger: 5, sendo o último em 2013, na sua terra natal, em Guimarães.

10 – Vitórias em torneios ITF: 7.

11 – Estreia no top 100 ATP: entrou para o 99º lugar em 15 de outubro de 2012.

12 – Permanência no top 100 mundial: figura nesta elite de forma consecutiva desde 15 de julho de 2013.

13 – Estreia na Taça Davis: aconteceu em 2008, na Foz, frente ao Chipre, quando a eliminatória já estava decidida. Contava então 19 anos.

14 – Número de eliminatórias na Taça Davis: 26. É o quarto jogador da Seleção Nacional com o maior número de presenças, a seguir a Cunha e Silva (30), Nuno Marques (27) e Rui Machado (27).

15 – Capitães: João Sousa conheceu três capitães na Taça Davis: Pedro Cordeiro, Nuno Marques e Rui Machado.

16 – Mérito: Representou Portugal nos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, tanto em singulares como em pares, onde fez dupla com Gastão Elias.

17 – Mudança: com 15 anos decidiu mudar-se para Espanha. Inicialmente esteve na federação catalã durante um ano e depois foi para a Barcelona Total Tennis.

18 – Objetivos: Quando ainda estava no Centro de Treino da Maia, João Sousa escreveu com 14 anos, quais eram os seus objetivos: “Ser profissional de ténis, ser top 100 mundial, ser jogador agressivo do fundo do campo com pancadas sólidas com um serviço muito bom. Subir à rede sempre que houver oportunidade”.

19 – Deslocação: Inicialmente quando estava em Espanha, João Sousa residia em casa de uma família. Ia de bicicleta para uma estação de comboio, sendo que a viagem até à Academia.

20 – Contacto: Nessa fase inicial, João Sousa falava com a família, recorrendo a uma cabine telefónica. Levava no bolso as moedas para matar saudades…

21 – Mudança: a partir do final de 2013, João Sousa passou a ser representado pela empresa Polaris, ligada ao conhecido empresário Jorge Mendes.

22 – Adversários na elite: a vivência na alta roda no ténis mundial possibilitou-lhe defrontar vários jogadores do top 10, como Novak Djokovic, Roger Federer, Rafael Nadal, Andy Murray e Stan Wawrinka.

23 – Melhor vitória: Foi frente ao espanhol David Ferrer, então nº 4 mundial, no torneio de Kuala Lumpur na Malásia, nos quartos-de-final.

24 – Reconhecimento: Nos últimos 6 anos, João Sousa tornou-se numa das figuras mais mediáticas do desporto português.

25 – Patrocínios: Tem uma vasta gama de patrocínios, entre os quais, o banco Millennium BCP, a marca de equipamentos Lotto e Mike Davis (vestuário casual) e as raquetas Wilson.

26 – Euforia: Inesquecíveis os momentos vividos no regresso a Portugal, após a vitória em Kuala Lumpur, Malásia, em 2013. Um mar de gente esperava João Sousa no Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

27 – Lágrimas: João Sousa não conseguiu esconder as lágrimas quando foi recebido no Salão Nobre da Câmara Municipal de Guimarães. Recebeu uma camisola do Vitória de Guimarães com o nº 51 (alusivo ao lugar que ocupava nessa semana no ranking ATP) e um cachecol único dizendo “O Conquistador”.

28 – Compromisso: Quando João Sousa foi para Espanha, o pai exigiu-lhe que continuasse a estudar. “Se chumbasse, fazia as malas”.

29 – No futebol: Até aos 15 anos, João Sousa dividia o ténis com o futebol, chegando a representar o Vitória de Guimarães e Os Sandinenses.

30 – Segredo: “Foi o gostar muito de ténis que o fez aguentar nesta vida”, disse uma vez o seu pai, Armando Marinho Sousa.

Norberto Santos
Ex-redator principal do Record e historiador do ténis português.