Dois em um: Tsitsipas alcança primeira final do ano e fica à porta do top 10

Stefanos Tsitsipas
Fotografia: Open 13 Provence

Hesitou muito mas acabou por jogar e a verdade é que não se podia estar a dar melhor: Stefanos Tsitsipas — que foi o primeiro jogador a ser confirmado para o Millennium Estoril Open 2019 — voltou a vencer para carimbar o acesso à final do ATP 250 de Marselha, que esteve muito perto de perder o seu primeiro cabeça de série antes do torneio começar.

Atual número 12 do ranking ATP, o recém-semifinalista do Australian Open considerou desistir do evento gaulês para descansar e preparar a abordagem ao ATP 500 do Dubai e aos Masters 1000 norte-americanos (Indian Wells e Miami).

Mas uma renegociação com a organização — que incluiu a atribuição de um wild card para o quadro de pares, onde jogou com o irmão, e muito provavelmente um novo cachet de comparência — levou-o a mudar de ideias. Agora, está na final. Tudo porque este sábado derrotou David Goffin em grande estilo (parciais de 7-6[1] e 6-2)

A terceira vitória em cinco encontros disputados frente ao belga dá à nova estrela do circuito mundial o acesso ao 11.º lugar do ranking — um novo máximo de carreira — e a presença na quinta final da carreira: em 2018 foi finalista dos torneios de Barcelona (ATP 500) e Canadá (ATP Masters 1000) e campeão em Estocolmo (ATP 250) e Milão (NextGen Finals), ainda que este último não conte para as contas oficiais da ATP.

Do outro lado do court estará Mikhail Kukushkin, igualmente a disputar a primeira final da temporada e à procura do segundo troféu da carreira. O jogador cazaque negou o sonho a Ugo Humbert, que vinha do quarto título em torneios Challenger e procurava a primeira final no nível acima: 6-4 e 6-4 foram os parciais da vitória do número 50 do mundo.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."