Sobre as mudanças nos ITFs, Stakhovsky diz que “a melhor solução é a ATP tomar a liderança”

A reforma levada a cabo pela Federação Internacional de Ténis (ITF) aos torneios do primeiro escalão continua a dar que falar e desta feita chegou a Sergiy Stakhovsky, que deixou o seu apoio — e promessas — a milhares de jogadores através de um grupo no Facebook onde se estão a reunir vários protestos e sugestões.

“Todos concordamos que a ITF não estão a cumprir as suas promessas de supervisionar e promover o ténis a nível mundial. E todos sabemos que vai demorar muito tempo até que a ITF analise esta situação, mesmo que o faça”, começou por apontar o ex-número 31 do ranking mundial num grupo do Facebook que tem recebido comentários e publicações de centenas de jogadores e treinadores ao longo dos últimos dias.

O atual membro do conselho de jogadores da ATP considera mesmo que “a melhor solução seria a ATP tomar a liderança deste segmento (os torneios de primeiro escalão) e acreditem, podem fazê-lo.” Ou seja, passar a organizar torneios de categoria inferior que “substituam” os da Federação Internacional de Ténis e permitam a evolução e surgimento de mais jogadores.

O problema, diz, “são todas as variáveis da situação atual e outros problemas globais com que a ATP está a liderar. Estaríamos a falar de investimentos financeiros e de mais recursos humanos.”

A situação não é fácil de resolver e Stakhovsky não só destaca que “nada será resolvido num futuro próximo (dois a três meses)” como reconhece que “possivelmente estamos a perder uma geração de jogadores”, o que ao mesmo tempo o faz acreditar que “as mudanças chegarão eventualmente.”

Aos inscritos no grupo, o experiente tenista ucraniano deixou ainda uma mensagem de esperança. “Acreditem ou não — e lamento mas apenas o posso dizer da perspetiva da ATP — estamos muito preocupados com a situação atual. A ITF fez uma má interpretação e não cumpriu o que tinha prometido. Estamos a analisar a situação, inclusivamente com pessoas no terreno para assistirem e falarem com os jogadores.”

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."