Fed Cup. Portugal aposta nas protagonistas de quinta-feira para o dia de todas as decisões

Pelo segundo dia consecutivo, a capitã Neuza Silva chamou Ana Filipa Santos e Francisca Jorge para disputarem os duelos de singulares. A seleção portuguesa defronta a África do Sul num encontro em que não há margem para erros: quem perder desce ao Grupo III da Zona Europa/África da Fed Cup, quem ganhar recebe uma segunda oportunidade de tentar a manutenção.

Um dia depois de se ter estreado na competição por equipas, Ana Filipa Santos vai voltar à ação já às 15h desta sexta-feira para defrontar Zani Barnard, jovem sul-africana que nunca teve ranking WTA e que na nova classificação ITF ocupa a 831.ª posição.

Depois, será a vez da bicampeã nacional Francisca Jorge entrar em ação. A vimaranense de 18 anos (648.ª WTA e 80.º ITF), que venceu o encontro de singulares de quarta-feira mas não conseguiu replicar o feito frente a uma jogadora do top 100 na jornada seguinte, terá Chanel Simmonds como adversária.

A sul-africana é a atual 488.ª posicionada do ranking WTA (642.ª no ITF) e para além de já ter disputado 48 encontros (!) na Fed Cup tem 42 títulos ITF no currículo (23 em pares, 19 em singulares).

A grande diferença em relação à jornada anterior é a aposta de Neuza Silva numa parceria inédita: se tudo decorrer conforme planeado, serão Ana Filipa Santos e Francisca Jorge a entrar em ação no último duelo do dia. Na quarta-feira, Francisca Jorge tinha jogado com Maria Inês Fonte, que no dia seguinte alinhou ao lado de Cláudia Cianci.

🔶 FED CUP 2019 – GRUPO II ZONA EUROPA/ÁFRICA 🔶O segundo dia da Pool B do Grupo II da zona Europa/África da Fed Cup by…

Publicado por Federação Portuguesa de Ténis em Sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."