Top 100 passa por Francisca Jorge e confirma segunda derrota de Portugal na Fed Cup

Francisca Jorge
Fotografia: Fernando Correia/FPT

As previsões confirmaram-se e foi uma jornada significativamente mais desequilibrada aquela que esta quinta-feira ditou a segunda derrota de Portugal na Pool B do Grupo II da Zona Europa/África da Fed Cup.

Um dia depois de ter adiado a decisão para o encontro de pares graças à vitória no seu primeiro duelo de singulares no Luxemburgo, a bicampeã nacional Francisca Jorge (648.ª no ranking WTA e 80.ª no ITF) não conseguiu ter argumentos para a bem mais experiente e cotada Mandy Minella (99.ª), que em 58 minutos venceu pelos parciais de 6-3 e 6-0.

Até foi a jovem portuguesa de apenas 18 anos quem entrou melhor no encontro, mas a luxemburguesa, de 33 anos, recuperou rapidamente o break sofrido ao primeiro jogo e com seis quebras de serviço apressou-se a despachar a contenda para dar a vitória ao Luxemburgo — tudo porque antes a recordista da equipa já tinha derrotado a estreante Ana Filipa Santos.

Este resultado deixa a equipa da casa numa muito boa posição — o Luxemburgo lidera a classificação do grupo, podendo mesmo terminar o dia isolado na primeira posição caso a África do Sul derrote Israel.

Já Portugal, vê de bem mais longe um possível cenário de qualificação (que ainda não fica matematicamente afastado porque se a África do Sul vencer Israel então no último dia ainda é possível dar-se um cenário favorável à equipa lusa) e fica entre a espada e a parede: agora, o conjunto liderado por Neuza Silva, que é coadjuvada por Miguel Sousa, está obrigado a passar pela equipa sul-africana na jornada de sexta-feira para poder fugir à quarta posição, que resulta automaticamente na despromoção ao Grupo III.

Apesar de já não ter qualquer influência no desfecho do confronto entre Portugal e o Luxemburgo, o encontro de pares (para o qual foram inicialmente escolhidas Francisca Jorge/Maria Inês Fonte e Mandy Minella/Eleonora Molinara) ainda se vai disputar porque pode ser importante para as contas finais da Pool B.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."