Fora de portas: Portugal vai ter de viajar para disputar o Grupo I da Taça Davis

As probabilidades eram poucas e a sorte não quis nada com Portugal, que esta quarta-feira ficou a saber que terá de disputar o Grupo I da Zona Europa/África da Taça Davis fora de portas.

Com um total de cinco seleções como possíveis adversárias na (agora única) eliminatória do Grupo I da Zona Europa/África, apenas uma seria sinónimo de um embate em solo luso e o resultado do sorteio que aconteceu em Londres não foi o mais favorável: Portugal terá de viajar até à Bielorrússia, ficando por decidir os dias em que a eliminatória é jogada.

Essa decisão pertence à Bielorrússia, que tal como o local e as condições de jogo pode escolher se a eliminatória se joga nos dias 13 e 14 de setembro (sexta-feira e sábado) ou 14 e 15 (sábado e domingo).

Com as alterações ao formato da Taça Davis, os Grupos Zonais (I, II, III e IV) passam a ser disputados apenas numa eliminatória: a equipa vencedora avança para as Davis Cup Qualifiers de 2020, a derrotada desce à divisão inferior.

A importância do fator casa

O historial de encontros entre as duas equipas reforça a importância do fator casa: a Bielorrússia venceu (4-1) a eliminatória do Grupo I disputada em Minsk, no ano de 2002, enquanto Portugal levou a melhor nas meias-finais do Grupo II (3-2) de 2015, em Viana do Castelo.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."