João Sousa: “Nunca me tinham feito tantos ases, inclusive no segundo serviço”

Foi com ironia que João Sousa começou por reagir à derrota para um jogador que está fora do top 150 mundial no começo da eliminatória da Taça Davis entre Portugal e Cazaquistão.

Na conferência de imprensa que se seguiu ao encontro, e que foi relatada pela ITF no website oficial da competição, o tenista vimaranense ironizou depois de perder para Alexander Bublik: “Eu era o favorito ao encontro? A sério? Não sabia.”

Já em declarações à Agência Lusa, o 39.º classificado do ranking mundial ATP lamentou não ter estado ao melhor nível e deixou elogios ao adversário e, em especial, a uma das suas pancadas. “Ele foi melhor do que eu. Foi muito forte no serviço, acho que nunca me tinham feito tantos ases, inclusive no segundo serviço. Também não consegui jogar ao mue melhor nível”.

O “Conquistador” do ténis português destacou ainda que “na segunda partida tive algumas oportunidades mas não consegui concretizar e após uma quebra de concentração ele passou para a frente. Começou a jogar melhor e ganhou mais confiança.”

Depois de João Sousa, também Pedro Sousa foi derrotado. O segundo melhor tenista luso da atualidade só conseguiu ganhar dois jogos frente a Mikhail Kukushkin e porque em pleno encontro sofreu uma lesão no cotovelo deslocou-se a uma unidade hospitalar para ser avaliado.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."