Nadal perdeu mas deu um discurso à campeão: “Não foi a minha noite mas vai ser uma inspiração”

Rafael Nadal
Fotografia: Ben Solomon/Tennis Australia

Rafael Nadal terminou o Australian Open como vice-campeão pela quarta vez na carreira. O tenista maiorquino não conseguiu encontrar soluções para contrariar o ténis de Novak Djokovic e acabou por perder uma das finais mais desequilibradas da carreira em torneios do Grand Slam, mas nem isso o impediu de dar um dos melhores discursos.

Na cerimónia de entrega dos troféus, o melhor tenista espanhol de todos os tempos começou por dar os parabéns ao rival pela vitória — “foi um nível de ténis inacreditável esta noite e nas últimas duas semanas, estão todos de parabéns” — e depois teceu enormes elogios à organização do torneio, que considerou o melhor do circuito.

“Quero continuar [o discurso] ao dizer um muito obrigado a todas as pessoas da Tennis Australia que fazem com que este torneio seja incrível. Não há nenhum torneio no mundo a evoluir todos os anos como este. O trabalho que estão a fazer é incrível e obrigado por fazerem deste torneio provavelmente o melhor do mundo. Estou a ser sincero, obrigado por promoverem tão bem o nosso desporto.”

E foi logo a seguir, numa reflexão pessoal, que Rafael Nadal deu um discurso que deveria servir de exemplo a qualquer desportista profissional — não apenas tenista — nos próximos tempos.

“Falando de mim, foram duas semanas muito emocionais. Mesmo se hoje não foi o meu dia e houve alguém que jogou muito melhor, foram duas semanas muito importantes para mim. No último ano passei por momentos difíceis, tive de retirar-me de muitos torneios, inclusive aqui, e desde o US Open que não joguei nenhum encontro oficial até à primeira ronda que joguei aqui este ano. É muito importante para mim conseguir chegar aqui depois de recuperar de mais uma lesão, acredito que fiz duas grandes semanas de ténis e isso vai ser uma grande inspiração para mim”, começou por reconhecer.

“Só posso agradecer à minha equipa, à minha família, a todos aqueles que me ajudam desde o início da carreira. Não tenho dúvidas de que sem eles e depois de tudo o que me aconteceu não teria hipóteses de estar aqui por isso muito obrigado. Só posso dizer que vou continuar a lutar e a trabalhar muito para ser um jogador melhor.”

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."