Osaka para Kvitova: “Não queria que este tivesse sido o nosso primeiro encontro, és fantástica”

A diferença que um ano faz: 12 meses depois de chegar a Melbourne como número 72 do mundo, Naomi Osaka é a campeã dos dois últimos torneios do Grand Slam e a líder do ranking WTA.

A tenista japonesa voltou a completar uma quinzena de ouro, agora ao derrotar Petra Kvitova numa final dramática para escrever mais história para o ténis japonês e até asiático. No final faltaram-lhe as palavras.

“Falar em público não é um dos meus fortes por isso espero apenas conseguir superar este discurso”, começou por revelar a sensação da atualidade segundos depois de receber o troféu de campeã das mãos de Li Na — um momento simbólico, dado que a tenista chinesa foi a primeira asiática da história a vencer um torneio do Grand Slam e a japonesa se tornou na primeira asiática a chegar ao topo da hierarquia.

Mas Naomi Osaka é uma excelente comunicadora. Tem um estilo próprio, disfarçado de uma enorme timidez que faz das suas conferências de imprensa, cerimónias de entrega de troféus e outros momentos de comunicação episódios únicos. No saco tinha uma “cábula” e apesar de ter revelado que se esqueceu do que deveria dizer não lhe faltou nada.

“Quero dar os meus muitos parabéns à Petra”, disse logo a seguir enquanto se virava para a tenista checa. “Sempre quis jogar contra ti. Ultrapassaste muita coisa e sinceramente não queria que este tivesse sido o nosso primeiro encontro. Muitos parabéns para ti e para a tua equipa, és fantástica e foi uma honra para mim defrontar-te na final de um torneio do Grand Slam.”

Os habituais agradecimentos ao diretor do torneio, à organização e aos vários elementos das equipas de apanha-bolas, arbitragem e voluntários também foram feitos e depois Naomi Osaka terminou com palavras de apreço para os fãs — “quero expressar a minha gratidão por nos virem ver jogar, sei que não é fácil” — e a equipa, “sem a qual não teria conseguido sobreviver a estas duas semanas. Por detrás de cada jogador de ténis há uma equipa e eu estou muito grata por vos ter.”

Um discurso à campeã, portanto.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."