Venus Williams escapou ao que Victoria Azarenka não conseguiu evitar

Venus Williams
Fotografia: Ben Solomon/Tennis Australia

Início de manhã preenchido no que a ex-líderes do ranking diz respeito e, mais do que tudo, atribulado: Victoria Azarenka despediu-se do Australian Open 2019 na primeira ronda e a ela esteve perto de se juntar Venus Williams, mas a norte-americana conseguiu fintar a derrota e juntar-se à irmã na segunda ronda.

Victoria Azarenka esteve longe de se exibir ao nível que a levou à glória nas edições de 2012 e 2013 mas até começou bem o encontro, ao recuperar da desvantagem de um break para vencer o primeiro set de um duelo entre duas jogadoras que procuram regressar aos melhores dias no circuito feminino.

Só que a tenista bielorrussa não teve gás para continuar na liderança e permitiu a Laura Siegemund (hoje 110.ª da tabela mas ex-top 30) a recuperação, que se consumaria ao cabo de 2h42 pelos parciais de 6-7(5), 6-4 e 6-2.

Foi um regresso amargo da ex-número 1 mundial a Melbourne, onde já não jogava desde 2016 (pelo meio deu à luz o primeiro filho e viu-se a contas com problemas conjugais que a impediram de viajar pelo circuito como desejava nos primeiros meses do regresso) e onde não perdia tão cedo desde a primeira aparição, dez anos antes.

Venus Williams também teve de passar muito tempo em court mas conseguiu regressar aos balneários com um sorriso nos lábios: depois da desilusão de 2018, em que com os pontos da final de 2017 a defender se deixou surpreender na primeira eliminatória, a experientíssima norte-americana derrotou a 25.ª cabeça de série Mihaela Buzarnescu por equilibrados 6-7(3), 7-6(3) e 6-2 depois de ter estado a perder por 6-7(3) e 3-5, num encontro que terminou com um total de 40 winners apontados.

Esta é a 19.ª participação de Venus Williams no Australian Open, ela que se estreou em torneios do Grand Slam em 1997 (e que ao terceiro evento, no ı desse ano, atingiu logo a final) mas só viajou para Melbourne a partir de 1998. Desde aí, falhou três edições devido a lesão (2000, 2007 e 2012) e disputou duas finais (antes de 2017 já tinha lutado pelo título em 2003).

A segunda ronda não fica mais fácil: Alizé Cornet é a próxima adversária da tenista norte-americana de 38 anos, graças ao triunfo por 6-2 e 6-2 sobre Lara Arruabarrena.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."