‘FedEx Express’ entra a todo o gás no Australian Open

Fotografia: ATP Tour

Roger Federer deu início à defesa do título do Australian Open que conquistou nas últimas duas edições de forma autoritária, batendo o sempre perigoso Denis Istomin em sets diretos.

Pragmático como sempre e cada vez mais em gestão de esforço, o campeoníssimo suíço foi capaz de obter um break em cada set (no primeiro, ao quarto jogo; no segundo parcial, ao terceiro; e na terceira partida, ao quinto) e, pese algumas investidas e pontos de belo pormenor de Istomin, soube habilmente controlar esse avanço no resultado para passar à próxima fase sem percalços fruto dos parciais de 6-3, 6-4 e 6-4.

Sem precisar de suar muito (ou tanto como poderia ser de esperar dado o oponente, responsável pela eliminação de Novak Djokovic do ‘Happy Slam’ há dois anos, do outro lado da rede), Federer produziu um nível de ténis suficiente para levar a melhor sobre o seu adversário uzbeque, notando-se até que a partir de dada altura o helvético estava verdadeiramente em “velocidade de cruzeiro”. Assim, com alguma arte e engenho pelo meio (os recortes técnicos acentuam-se cada vez mais com o avolumar do marcador), o atual número três mundial conseguiu o passaporte para a segunda etapa com pouco gasto de energia.

Agora é hora de preparação para a próxima eliminatória, na qual o recordista de títulos Major irá encarar o britânico Daniel Evans (189.º), que tem ressurgido após ter sido suspenso temporariamente devido a ter acusado positivo num teste anti-doping e derrotou esta madrugada o nipónico Tatsuma Ito (150.º) numa luta entre qualifiers por 7-5, 6-1 e 7-6(8).

Cilic, Khachanov, Schwartzman, Verdasco e Monfils também triunfaram

Foi, de resto, um dia relativamente favorável para os últimos pré-designados que se estrearam nesta primeira jornada do Australian Open 2019.

Vice-campeão do ano passado e claramente um dos nomes a ter em conta, Marin Cilic (7.º ATP) defendeu com sucesso o seu estatuto de sexto cabeça de série ao aplicar os parciais de 6-2, 6-4 e 7-6(3) frente ao tenista da casa Bernard Tomic (88.º).

Também o russo Karen Khachanov, 10.º favorito e número 11 mundial, conseguiu triunfar (3-6, 6-3, 6-4 e 6-3 contra o alemão Peter Gojowczyk — 63.º), bem como o 18.º candidato ao título, o argentino Diego Schwartzman (6-1, 6-3, 4-6 e 6-0 perante o qualifier alemão Rudolf Molleker — 206.º), o 26.º cabeça de série, o espanhol Fernando Verdasco (7-6[5], 6-3 e 6-3 diante do qualifier sérvio Miomir Kecmanovic — 125.º ATP), e o 30.º pré-designado, o francês Gael Monfils (6-0, 6-4 e 6-0 ao bósnio Damir Dzumhur — 47.º).

Em sentido contrário, nota para os desaires do 31.º favorito, o norte-americano Steve Johnson, contra o recém vice-campeão do ATP 250 de Sydney, o italiano Andreas Seppi (35.º), por 6-4, 4-6, 6-4 e 6-3, e do campeão do ATP 250 de Auckland e quarto-finalista do ano transato, o norte-americano Tennys Sandgren (41.º ATP), ante o japonês Yoshihito Nishioka (69.º) pelos parciais de 6-4, 7-6(5), 4-6 e 6-4.

Avatar
Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.