Fotogaleria: mais um ano, mais uma visita exótica (e milionária) de Federer à Austrália Ocidental

Federer Perth
Tenista suíço prepara-se para participar na competição pela quinta vez | Fotografia: Hopman Cup

Não há tempo a perder: quando Roger Federer aterra, a organização coloca mãos à obra para cumprir à risca um plano que é posto em marcha muito antes e que tem como grande objetivo promover a região da Austrália Ocidental (“Western Australia”). Ou não se tratasse este de um negócio de milhões…

Se em 2017 visitou a ilha de Rottnest, onde tirou uma famosa selfie com um quokka, esta quinta-feira o tenista helvético voltou a ter um primeiro dia muito preenchido.

Primeiro passeou de helicóptero pelos ares de Cervantes e a pé pela praia, onde foi fotografado com uma “nova amiga” (uma grande lagosta, curiosamente o prato que depois almoçou…) e depois trocou bolas com algumas crianças entre as rochas históricas da região.

Nada por acaso, claro: parte da contratação de Roger Federer assenta na promoção à Austrália Ocidental. Os responsáveis pela região vêem o suíço não só como a grande estrela do torneio (que este ano terá provavelmente a sua última edição como o conhecemos, dado que a partir de 2020 a ATP planeia organizar a ATP Cup em conjunto com a Tennis Australia) como uma peça chave na promoção do turismo local.

Apesar de se tratar de “um contrato confidencial”, as guerras entre os governadores levaram uma das maiores figuras do tabuleiro político (Gareth Parker) a revelar que o ex-número 1 mundial recebe qualquer coisa como dois milhões de dólares para começar a temporada em Perth.

E a estratégia tem resultado: a selfie que Roger Federer tirou com o animal selvagem no final do ano de 2017 tornou-se rapidamente viral, de tal forma que as pesquisas por “Rottnest Island” no Google aumentaram 400% em relação ao mês de janeiro do ano anterior. Na prática, a visita do suíço significou que em fevereiro a ilha já estava a caminho de igualar os 666.000 visitantes recordes registados em todo o ano anterior.

“Sabíamos que seria a loucura nas redes sociais se o levássemos à Rottnest Island e conseguíssemos juntá-lo a um quokka e isso acabou mesmo por acontecer”, revelara, semanas depois, o Ministro do Turismo, Paul Papalia, à imprensa local.

Agora que o passeio terminou, segue-se uma outra atividade também já tradicional: o treino inaugural de “portas abertas” na Perth Arena (desta vez com David Ferrer). A julgar pelas experiências dos dois últimos anos, será mais um verdadeiro sucesso, dado que quer em 2016, quer em 2017 mais de 6.000 fãs aderiram à iniciativa.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."