Um júnior, um sénior e um veterano: assim se fez a estreia do CT Porto no Nacional de Equipas

Mauri-Gomez

O segundo dia de ação no Complexo de Ténis da Maia sorriu ao Clube de Ténis do Porto e ao Riba Clube, que se estrearam da melhor forma no quadro masculino do Campeonato Nacional de Equipas da 1.ª Divisão. Menos feliz foi o Clube de Ténis das Caldas da Rainha (CTCR), que com a segunda derrota em dois dias se despede da prova.

“À porta” de casa, o Clube de Ténis do Porto começou da melhor forma a edição de 2018 do Campeonato Nacional de Equipas da 1.ª Divisão graças à vitória de três jogadores de escalões diferentes perante o CTCR.

O primeiro vencedor do dia foi Mauri Gomez. Tetracampeão nacional de +35, o jogador de 39 anos derrotou João Lucas Gaioli por 6-0 e 6-2 e pouco depois consumou-se o triunfo do júnior Manuel Gonçalves, de 17 anos, que passou por José Campos com os parciais de 6-3 e 6-2.

Assim, coube ao sénior Pedro Vide, de 20 anos, o papel de carimbar a vitória para a equipa portuense, que se confirmou graças aos parciais de 3-6, 6-4 e 6-0 perante Pedro Libório.

Com o triunfo desta sexta-feira, o Clube de Ténis do Porto junta-se ao Centro de Ténis de Faro na liderança do Grupo 1, ainda que com menos sets ganhos e, por isso, no segundo lugar. O encontro de sábado entre as duas equipas será, portanto, decisivo, dado que eliminado está já o Clube de Ténis das Caldas da Rainha.

Ao contrário do CT Porto, a Escola de Ténis da Maia não conseguiu estrear-se de forma sorridente. Depois do desaire de quinta-feira na competição feminina, a equipa masculina da casa perdeu por 3-1 para o Riba Clube no quadro masculino.

As hostilidades foram abertas pelo holandês Tim Horst, que derrotou Tiago Almeida por 6-4 e 6-2; depois, seguiu-se a vitória do brasileiro Filipe Brandão, por 4-6, 7-6(2) e 6-3, perante Afonso Vaz Viana. Em desvantagem, a Escola de Ténis da Maia ainda viu o seu melhor jogador, Fábio Coelho, derrotar José Gonçalves (por 6-2 e 6-0) para atenuar a diferença e adiar a decisão para os pares, onde Filipe Brandão e Tim Horst voltaram a vencer, desta feita lado a lado, para fecharem o confronto: 6-1, 1-6 e 10-6 foram os parciais frente a Tiago Almeida e Bernardo Pires.

No final da jornada desta sexta-feira, o Riba Clube é líder com 4 pontos mas já não volta ao campo. Está, por isso, tudo em aberto: com uma vitória a valer 3 pontos, Associação Académica de Coimbra (tem 3) e Escola de Ténis da Maia (tem 1) ainda podem garantir a passagem à final, dado que o regulamento dita que em caso de igualdade pontual o desempate será feito pelo número de encontros ganhos e, depois, sets e jogos.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."