Frederico Silva e Gonçalo Oliveira com sortes diferentes na semana do adeus aos Challengers

Frederico--Silva 2018

Uma semana separa os últimos protagonistas do circuito Challenger do final da temporada e a jogo vão dois tenistas portugueses, que este sábado ficaram a conhecer as derradeiras (e distintas) sortes.

Em Pune, na Índia, Frederico Silva (292.º ATP) vai tentar dar continuidade à boa série de resultados que tem obtido no continente asiático. Chegado dos quartos de final em Bangalore, que lhe permitiram igualar o melhor resultado da carreira em provas de 150.000 dólares, o caldense vai a jogo no torneio que distribui 50.000 dólares em prémios, tendo como primeiro adversário um jogador oriundo da fase de qualificação.

Depois, e caso vença o primeiro desafio, o número seis nacional poderá ter como adversário o sétimo cabeça de série, Andrej Martin (198.º), num torneio que é encabeçado por Radu Albot (101.º) e a estrela da casa Ramkumar Ramanathan (124.º).

Gonçalo Oliveira, número 282 mundial, terá uma longa viagem pela frente para chegar à derradeira paragem no circuito Challenger. O portuense disputa este domingo a final de pares no torneio de Kobe, no Japão, e depois terá de voar cerca de 9.500 km para chegar a Andria, Itália, onde já sabe que como primeiro adversário terá nada mais, nada menos do que o primeiro cabeça de série, Ugo Humbert (francês que é o 98.º classificado mundial).

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."