Taça Davis. A cidade dos 20 graus negativos vai receber Portugal em fevereiro

National Tennis Center Astana

Sem surpresas, a Federação Cazaque de Ténis anunciou, esta sexta-feira, a escolha da capital Astana para o qualifying das Davis Cup Finals que nos dias 1 e 2 de fevereiro de 2019 vai colocar frente a frente Cazaquistão e Portugal.

O palco escolhido para a eliminatória que vale a presença na nova fase final da competição (e que marcará a estreia de Rui Machado no comando da seleção nacional) foi o National Tennis Center.

Este recinto terá instalado um court de piso rápido e terá capacidade para receber um total de 3.860 espetadores, porque aos 2.860 lugares permanentes serão acrescentados 1.000 assentos temporários.

Marcada para o início do mês de fevereiro, a eliminatória dará a conhecer à comitiva portuguesa condições muito diferentes daquelas a que os jogadores estão habituados — mesmo viajando frequentemente pelo mundo: em fevereiro, as temperaturas mínimas em Astana chegam aos 20 graus negativos e as máximas raramente passam dos 10 graus negativos.

Em caso de vitória, Portugal garantirá a presença na fase final da Taça Davis (a partir de 2019 condensada numa única semana e apelidada de Davis Cup Finals) pela primeira vez na história, depois de em 1994 e 2017 ter ficado “à porta”: em ambos os casos perdeu no play-off do Grupo Mundial.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."