Pedro Sousa cada vez mais próximo do top 100, Gastão Elias com pior ranking desde 2011

Pedro Sousa
Fotografia: Fernando Correia/FPT 2018

A boa fase de Pedro Sousa continua e esta semana voltou a refletir-se no ranking: com a chegada às meias-finais do Challenger de Montevidéu, o lisboeta garantiu a segunda melhor classificação da carreira, só atrás da que alcançou na última semana de setembro de 2017.

Do 114.º, Pedro Sousa passou para o 104.º lugar do ranking, ficando a apenas duas posições de igualar a melhor classificação que alguma vez ocupou e a quatro de consumar a tão aguardada estreia no top 100 mundial.

À frente dele apenas João Sousa, que já colocou um ponto final na temporada e continua a ser o 45.º melhor tenista do mundo.

Em sentido contrário, João Domingues (-27), Gonçalo Oliveira (-2), Gastão Elias (-47), Frederico Silva (-2) e João Monteiro (-11) desceram posições. No caso de Gastão Elias, que passa a ocupar o 290.º lugar da tabela, trata-se mesmo do pior ranking do lourinhanense desde a atualização de 7 de março de 2011, quando ocupava o 357.º posto (na semana seguinte passou para 271.º).

Pela segunda semana consecutiva — e da história — são nove os jogadores portugueses presentes no top 400 mundial, com Fred Gil (328.º) e Tiago Cação (397.º) a registarem, respetivamente, subidas de dois e três lugares. O penichense não só é o mais recente membro luso deste restrito grupo como o mais novo, tendo apenas 20 anos.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."