Onze anos depois, Fred Gil regressa à final do Campeonato Nacional

Fred-Gil
Fotografia: Cirilo Vale

PORTO – Continua a correr de feição a participação de Fred Gil no Campeonato Nacional Absoluto/Taça Guilherme Pinto Basto. Com três vitórias em três encontros, o ex-número 62 ATP carimbou na manhã desta sexta-feira o apuramento para a final de singulares — onze anos depois de ter lutado pelo título pela última vez.

Responsável pelas eliminações dos jovens Tomás Luís (16 anos) e Gonçalo Ferreira (18) nas primeiras rondas, naqueles que foram duelos de sentido único, Fred Gil voltou a levar a melhor num encontro em que a vitória nunca chegou a estar em causa — desta vez frente ao bem mais experiente Gonçalo Falcão, pelos parciais de 6-2 e 6-2.

Somada a terceira vitória nos courts cobertos de terra batida do Clube de Ténis do Porto (a precipitação constante tem impedido a realização da prova nos courts exteriores), o oitavo melhor tenista português da atualidade no ranking ATP chega, assim, à sua quinta final de singulares no Campeonato Nacional Absoluto.

Em 2004, Gil conquistou o título pela primeira vez vez ao derrotar Leonardo Tavares. No ano seguinte o sintrense perdeu a final para Rui Machado, regressando aos títulos em 2006 (com vitória perante Gonçalo Nicau no encontro decisivo) e 2007 (frente a Pedro Sousa).

E em 2018 terá pela frente mais um adversário diferente: ou João Monteiro, o primeiro cabeça de série e campeão em 2016, contra quem Fred Gil disputou quatro finais nos últimos seis Futures que disputou, ou Fábio Coelho — a grande surpresa do torneio, que eliminou Tiago Cação para chegar às meias-finais.

[Q] Gonçalo Falcão vs. [2] Fred Gil, meia-final do Campeonato Nacional Absoluto:

Publicado por Raquetc em Sexta-feira, 9 de Novembro de 2018

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."