Quatro anos e meio depois, Gastão Elias sai do top 200; Fred Gil de regresso aos 350 primeiros

Gastão Elias São Paulo

Chegou ao fim uma das maiores séries do ténis português no que ao ranking mundial diz respeito. Gastão Elias deixou, esta segunda-feira, o top 200 pela primeira vez em mais de quatro anos e meio, deixando João Sousa (48.º ATP) e Pedro Sousa (124º) como os únicos compatriotas presentes num grupo a que já 12 tenistas portugueses chegaram.

Ao ver serem-lhe descontados os 15 pontos relativos aos quartos de final em Lima, o jogador natural da Lourinhã desceu da 198.ª para a 215.ª posição, pondo fim a uma série de 235 semanas consecutivas no top 200 do ranking mundial ATP.

O registo, iniciado no dia 28 de abril de 2014, era não só o terceiro melhor em atividade como o terceiro melhor de toda a história do ténis português, a par daquele que João Cunha e Silva alcançou entre 21 de maio de 1990 e 20 de novembro de 1994 e só atrás das 366 semanas que João Sousa já leva entre os 200 primeiros (desde 31 de outubro de 2011) e das 355 que Fred Gil lá passou (entre 12 de junho de 2006 e 21 de março de 2013).

Nas próximas duas semanas, Gastão Elias tem ainda a defender os pontos relativos às meias-finais alcançadas no Challenger de Guayaquil (Ecuardor) e à final em Montevidéu (Uruguai). Mas as notícias não são todas más: entre 14 de maio e 7 de outubro o português de 27 anos não somou qualquer vitória, pelo que nesse período do próximo ano só terá pontos (e posições) a ganhar.

Em sentido contrário a Gastão Elias, Pedro Sousa (que foi vice-campeão em Lima) registou uma subida de 14 lugares e é agora o 124.º do ranking. João Domingues (+7), Gonçalo Oliveira e Frederico Silva (ambos +2 posições) também subiram, mas é fora do top 300 que se verificam as maiores alterações.

Com os pontos relativos à vitória no Future de São Brás de Alportel a entrarem nas contas, João Monteiro subiu 27 lugares e regressou ao top 350 (é o 341.º), sendo que na próxima semana será adicionada à classificação a vitória no torneio de 25.000 dólares de Tavira.

Do grupo dos 350 primeiros volta também a fazer parte Fred Gil. O tenista sintrense, que há 20 dias tinha regressado ao top 400, posiciona-se agora entre os 350 melhores do mundo pela primeira vez desde 28 de abril de 2013.

A assinalar há, ainda, as subidas acentuadas de Luís Faria e Martim Leote Prata. O vimaranense foi quartofinalista em São Brás de Alportel e Tavira, mas porque só os pontos da primeira de duas semanas no Algarve foram adicionados subiu 145 lugares, para o 1206.º posto. Na próxima semana, nova subida esperada; já o lisboeta, teve o mesmo resultado no SBA Tennis Open, que lhe vale uma subida de 560 posições, até 1467.º.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."