Elina Svitolina opera reviravolta e conquista maior título da carreira no WTA Finals

Fotografia: WTA

Está encontrada a grande campeã da última edição do WTA Finals realizada em Singapura: Elina Svitolina deu a volta a uma final que lhe era desfavorável para bater Sloane Stephens e conquistar o maior título da carreira.

Numa decisão entre duas tenistas até agora invictas ao longo da semana, a ucraniana, sexta pré-designada e número sete mundial, até começou menos bem o encontro, muito também por mérito da sua adversária norte-americana, quinta favorita e sexta do ranking WTA, mas não desistiu de lutar pela vitória final e esse espírito combativo acabou por ser recompensado e coroado com uma estrondosa recuperação fixada nos parciais de 3-6, 6-2 e 6-2 ao cabo de duas horas e 23 minutos.

Estreante no ‘Masters’, Stephens vinha a realizar uma campanha notável e deu o primeiro passo no sentido de a terminar com chave d’ouro ao fechar a primeira partida com a vantagem do seu lado graças a um ténis bastante potente e simultaneamente consistente. Svitolina, porém, tinha outros planos e depressa colocou-os em marcha: cada vez mais entrosada no jogo da sua opositora e confiante nas suas decisões, a ex-número três mundial foi, paulatinamente, tomando conta do embate e num ápice tudo ficou empatado, forçando uma ‘negra’ que voltaria a pender para o seu lado.

Com o título na cimeira de elite do ténis feminino, Elina Svitolina, que no ano passado se estreou no WTA Finals e ficou pelo caminho na fase de grupos, não só conquista o quarto título da temporada (juntando aos títulos nos WTA Premier de Brisbane e Dubai e no WTA Premier 5 de Roma) e já o 13.º no cômputo geral em 15 finais, como também garante que termina 2018 no quarto lugar da hierarquia individual.

Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.