Coelho, Rodeia, Almeida, Ferreira e Nunes à porta do quadro principal do Future de Tavira

TAVIRA – Ao final do segundo dia são cinco os “sobreviventes” portugueses na fase de qualificação do HPZ Ricoh Tavira Tennis Open, Future de 25.000 dólares organizado pelo Clube de Ténis de Tavira e que coloca um ponto final na série de 22 provas internacionais masculinas realizadas em solo nacional em 2018.

A abrir a jornada, Tomás Almeida ganhou uma grande batalha frente ao compatriota Miguel Gomes (com 6-7[4], 6-1 e 6-3) para se tornar no primeiro tenista luso a avançar para a terceira e última ronda da fase de qualificação.

Depois, e num dia que começou por ser perturbado pela chuva mas rapidamente recuperou das condições meteorológicas menos favoráveis rumo a uma jornada ensolarada, também o algarvio José Ricardo Nunes (7-5 e 6-0 ao indiano Rishabdev Raman) e Gonçalo Ferreira (6-4 e 6-4 sobre Francis Pare) reservaram um lugar na derradeira etapa.

Já a fechar o dia, André Rodeia passou de forma categórica pelo britânico Thomas Hulme, com 6-1 e 6-2, e Fábio Coelho confirmou o estatuto de sexto pré-designado ao derrotar Marco Wright, com 6-4 e 6-2.

Para trás ficaram António Pragana (6-0 e 6-2 para o primeiro cabeça de série, Simon Carr), Hugo Maia (6-2 e 6-3 para o terceiro Filipe Brandão), Afonso Portugal (2-6, 6-4 e 6-4 para Luke Stevenson) e Bernardo Roque (6-2 e 6-1 perante Jakob Johansson-Holm).

Esta segunda-feira jogam-se os oito encontros finais do qualifying e também os primeiros do quadro principal.

Ordem de jogos:

OOP3
Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."