Francisca Jorge ultrapassa jornada dupla e salva match points rumo à final de pares

Embora inglória no capítulo individual, a jornada desta sexta-feira revelou-se frutífera para Francisca Jorge na variante de pares: após ter disputado dois embates e salvo dois match points, a número dois portuguesa assegurou o regresso às finais no Cantanhede Ladies Open.

Primeira cabeça de série em conjunto com a britânica Anna Popescu, a jovem vimaranense de 18 anos de idade começou por bater facilmente a brasileira Marcela-Guimarães Bueno e a romena Diana Maria Mihail com os parciais de 6-3 e 6-3 rumo às meias-finais da prova conimbricense de 15.000 dólares em prémios monetários.

Só que, devido à presença assídua da chuva nos últimos dias, a competição de pares acabou por sofrer alterações no planeamento e, por isso, esta sexta-feira contemplou também as “meias”, com Francisca Jorge e Anna Popescu a anularem dois pontos de encontro no match tiebreak para prevalecerem sobre as quartas pré-designadas, a russa Victoria Mikhaylova e a eslovena Kristina Novak, por 4-6, 6-4 e 12-10.

Com a passagem à decisão, a campeã nacional absoluta regressa assim ao derradeiro duelo (o terceiro do ano — foi vice-campeã no Seixal e em Montemor-o-Novo) no Clube Escola de Ténis de Cantanhede depois de ter conquistado há dois anos, ao lado de Marta Oliveira, o primeiro (e até agora único) título da carreira no circuito profissional.

Ainda na vertente de pares, Lúcia Quitério e Camila Garcia ficaram a um passo de poderem disputar a sua primeira decisão enquanto dupla e de constarem numa final quase toda portuguesa ao cederem nas meias-finais perante as segundas favoritas, a alemã Katharina Hering e a eslovena Manca Pislak, por 6-0 e 6-4.

Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.