Autoritário, Djokovic atinge final em Xangai e assegura regresso ao segundo lugar

Novak Djokovic está a atravessar uma das suas melhores fases dos últimos tempos nesta segunda metade da temporada e prova disso foi mais uma exibição de “encher o olho” este sábado: o sérvio ‘despachou’ Alexander Zverev para rumar à final do Masters 1000 de Xangai e garantir a subida ao segundo lugar do ranking na próxima segunda-feira.

Campeão dos dois últimos Grand Slams da época, o ex-número um mundial voltou a demonstrar que está mesmo focado no objetivo de regressar ao topo da hierarquia ainda em 2018 e a sua mais recente vítima foi o germânico de 21 anos, atual quinto classificado, que não resistiu ao ténis de Djokovic e acabou assim derrotado pelos parciais de 6-2 e 6-1 em pouco mais de uma hora.

Embora Zverev tenha triunfado no único embate entre ambos realizado anteriormente (na final da edição de 2017 do Masters 1000 de Roma), a verdade é que as circunstâncias e a superfície eram outras e foi isso que ‘Nole’ deixou bem patenteado: o número três ATP não deu a mínima hipótese ao seu adversário de respirar e assentar o seu jogo, colocando sistematicamente bolas profundas para as quais o alemão não encontrou solução.

Alcançada a grande decisão do maior torneio de ténis masculino realizado em solo asiático, Novak Djokovic procura agora o quarto título em Xangai (2012, 2013 e 2015) e também o quarto do ano e 72.º da carreira, sabendo desde já que, independentemente do desfecho do derradeiro duelo deste domingo, irá subir à vice-liderança da tabela mundial.

Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.