Vitória de Gastão Elias igualou recorde de final mais tardio no circuito ATP

Jornada histórica em Santo Domingo, República Dominicana: a chuva demorou a dar tréguas e a organização apostou numa programação “noite dentro”, que acabou por resultar no igualar do recorde de final mais tardio da história do circuito ATP.

Eram 3h24 da manhã quando Gastão Elias carimbou o apuramento para a segunda ronda do Challenger dominicano, interrompendo uma série de oito desaires consecutivos.

Na altura, não se sabia, mas pouco depois chegou a confirmação. O encontro entre Gastão Elias e Marcelo Arévalo terminou à mesma hora que o duelo entre Benjamin Becker e Jiri Novak no ATP de Tóquio, em 2006 — encontro que até agora detinha, de forma isolada, o recorde no circuito masculino.

Quanto ao final mais tardio da história do ténis, independentemente do circuito ou tipo de torneios, continua a dizer respeito à épica vitória de Lleyton Hewitt, por 4-6, 7-5, 7-5, 6-7(4) e 6-3, sobre Marcos Baghdatis, quando os relógios de Melbourne Park apontavam 4h33 da manhã.

O dia, claro, foi cansativo. Em declarações ao Raquetc, Gastão Elias contou que “não foi fácil manter o foco e os níveis de energia lá em cima, especialmente num dia como estes em que cheguei ao clube às 10 da manhã e acabei por só jogar por volta da 1h30, 2h da manhã.”

No entanto, o número 3 nacional faz um balanço positivo da jornada, ou não tivesse somado a primeira vitória desde a chegada às meias-finais do Braga Open, em maio. “Foi bom, muito bom. Joguei a um bom nível do início ao fim e aproveitei bem as oportunidades que ele me deu.”

Os nervos, esses, também estiveram presentes, até porque como o próprio destaca “há algum tempo que não passava por um momento assim, de estar a servir para fechar um encontro e ter um match point. Foi bom ter ultrapassado tudo da melhor forma, ainda para mais contra um adversário duríssimo que me tinha ganho da última vez, quando eu estava numa grande forma.”

Já descansado, Gastão Elias pode voltar a passar pelo mesmo porque o tempo em Santo Domingo continua a não ser o mais favorável (esta quarta-feira ainda não se jogou) — mas espera que isso não aconteça, porque significaria uma possível “jornada tripla” no dia de quinta-feira e com o ex-número 8 ATP Jurgen Melzer como adversário no primeiro encontro.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."