Reencontrada a forma, Wozniacki atinge, em Pequim, uma das finais mais importantes do ano

Pela primeira vez desde que se juntou ao restrito grupo de campeãs do Grand SlamCaroline Wozniacki terá a oportunidade de lutar por mais um título em piso rápido. A dinamarquesa qualificou-se este sábado para a grande final do Premier Mandatory de Pequim, um dos maiores e mais importantes eventos da temporada feminina e onde se sagrou campeã no ano de 2010.

Ao contrário do que acontece no circuito masculino, em que o torneio é “apenas” um ATP 500 (mas um dos mais fortes nessa categoria), no circuito feminino Pequim é, a par de Indian Wells, Miami e Madrid, uma das quatro paragens mais importantes a seguir aos Grand Slams e o WTA Finals.

A boa campanha da dinamarquesa de 28 anos acontece na semana em que a própria confessou ter “finalmente reencontrado” o seu melhor ténis e as boas sensações dentro do court. E foi precisamente isso a que se voltou a assistir este sábado, jornada em que se superiorizou de forma clara à tenista da casa, Qiang Wang (28.ª do ranking e que até agora somava 17 vitórias em solo chinês na presente temporada), para vencer por 6-1 e 6-3 e marcar lugar na final.

A decisão de Pequim é a primeira da ex-número 1 do mundo em piso rápido desde a glória nos courts de Melbourne Park e marca o seu regresso a finais desde que se sagrou campeã na relva de Eastbourne, como preparação para Wimbledon.

A separá-la daquele que pode ser o 30.º título da carreira, a segunda classificada do ranking tem a letã Anastasija Sevastova, antiga campeã do Estoril Open (em 2010) e que na primeira meia-final do dia derrotou Naomi Osaka, por 6-4 e 6-4.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."