ITF confirma Madrid como “cidade-casa” das duas primeiras Davis Cup Finals

As duas primeiras edições do novo formato da Taça Davis vão acontecer em Madrid. O anúncio foi feito esta quinta-feira pela Federação Internacional de Ténis (ITF) em conjunto com a Kosmos Tennis, a empresa de Gerard Piqué que esteve na base da reforma da competição.

Através de um comunicado, a ITF confirma a informação que já tinha sido avançada pelo jornal Marca no final do mês de agosto. A Caja Mágica, complexo que anualmente recebe o Mutua Madrid Open, foi o palco escolhido para acolher a primeira edição das Davis Cup Finals, na qual participarão 18 seleções (Portugal pode ser uma delas).

Quanto ao ano de 2020, ainda não tem um complexo apontado mas a ITF avança que está a considerar candidaturas da mesma Caja Mágica e também do WiZink Center — conhecido originalmente como Palacio de Deportes de la Comunidad de Madrid e que serve de casa aos encontros da equipa de basketball do Real Madrid.

A superfície ainda não foi divulgada, mas o jornal Marca também adiantou que o piso rápido será o eleito, em grande parte devido à altura do calendário em que as Davis Cup Finals se inserem. O mesmo jornal escreveu ainda que a garantia de que a competição passaria pela capital espanhola foi um fator fundamental para a Real Federación Española de Tenis votar a favor das alterações no formato da competição.

O novo formato:

A partir de 2019, o Grupo Mundial da Taça Davis dará lugar às Davis Cup Finals. Jogada numa única semana do ano (para já, em novembro, mas é do conhecimento público que tanto Piqué como a ITF estudam uma mudança para setembro, logo depois do US Open), a fase final da competição contará com a presença de 18 equipas.

Depois de distribuídas em três grupos, as seleções vão discutir entre si encontros à melhor de três, ou seja, com dois duelos de singulares e um de pares — todos eles decididos, no máximo, em três sets. Depois, os seis vencedores dos grupos e os dois melhores segundos classificados avançam para os quartos de final, fase a partir do qual se joga em eliminação direta.

As equipas classificadas nas 17.ª e 18.ª posições serão despromovidas aos respetivos Grupos Zonais, enquanto aquelas que ficarem entre os 5.º e 16.º lugares competirão no qualifying do ano seguinte. Já as semifinalistas, terão automaticamente acesso às Davis Cup Finals da época que se segue.

O sorteio do qualifying (equivalente ao atual play-off de acesso ao Grupo Mundial) realizou-se esta quarta-feira e ditou que, em caso de vitória frente à África do Sul no próximo mês, a seleção portuguesa jogará ou com o Cazaquistão ou com o Canadá em fevereiro.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."