Emma Laine & Samantha Murray repetem título de pares no Lisboa Women Open

LISBOA – Esta sexta-feira foi sinónimo de festa para a dupla formada pela finlandesa Emma Laine e a britânica Samantha Murray. Na final do Lisboa Women Open, as terceiras pré-designadas — que já tinham conquistado o mesmo troféu em 2016 — levaram a melhor sobre a equipa constituída por Michaella KrajicekTereza Martincova, da Holanda e da República Checa, respetivamente.

O encontro revelou-se dominado pelas eventuais campeãs, que souberam habilmente recuperar do break cedido na fase inaugural da primeira partida, colocando-se logo de seguida em vantagem. No segundo e decisivo set, embora tenha imperado um equilíbrio de forças, Emma Laine & Samantha Murray souberam fazer uso da sua maior experiência, respondendo à altura nos momentos-chave do confronto. Após uma hora e meia de luta aguerrida, os parciais finais definiram-se em 7-5 e 6-4 a favor das atletas mais cotadas.

A conquista da prova lisboeta representa o primeiro título do ano para Emma Laine, ao passo que Samantha Murray volta a triunfar em solo nacional em 2018 após se sagrar vencedora no torneio de 15.000 dólares realizado em Santarém, também na vertente de pares.

Uma prova de boas memórias para Francisca Jorge

A campeã nacional absoluta — ao lado de Fatma Al-Nabhani, do Omã — protagonizou um par de vitórias surpreendentes ao longo da semana. As atletas, na sua estreia enquanto dupla, começaram da melhor forma possível ao arredar as primeiras cabeças de série Ingrid Neel & Rosalie Van Der Hoek, sendo que mais tarde também levaram de vencida a equipa russa formada por Ekaterina Kozionova & Polina Monova.

O estado de graça chegou ao fim esta quinta-feira, num embate onde Francisca Jorge e a parceira caíram perante as eventuais campeãs.

António Vieira
Natural de Lisboa e licenciado em Gestão, vê no Ténis uma extraordinária modalidade com vasto potencial a ser explorado em Portugal. Tem como principal objetivo a contribuição no seu crescimento partilhando com o Mundo a sua espetacularidade.