Tiago Cação é o 3.º português a chegar às meias-finais em Palmela

PALMELA – Três. É este o número de semifinalistas portugueses no quadro principal de singulares do primeiro Palmela Open, torneio Future com 15.000 dólares em prémios monetários que ao longo desta semana se desenrola no SPARKS Tennis Park.

Poucas horas depois de João MonteiroFred Gil o terem feito, também Tiago Cação (484.º ATP) seguiu em frente: o jovem natural de Peniche derrotou o alemão Niklas Schell (1328.º) por 6-3 e 6-4.

Foi um duelo de pouca história: Cação, que partia como claro favorito, esteve irrepreensível a partir do momento que respondeu ao break de atraso no parcial inaugural, partindo para uma liderança tranquila que mesmo quando contestada novamente pelo alemão já na reta final do encontro voltou a ser recuperada graças ao elevado nível apresentado pelo português de 20 anos.

Passados apenas 90 minutos, o tenista do Centro de Alto Rendimento carimbou a passagem às sétimas meias-finais de singulares na presente temporada, uma fase onde até ao momento só perdeu numa ocasião (na Póvoa de Varzim, e para o número 1 mundial de juniores, Chun Hsin Tseng).

Para igualar o registo dos Futures de Vale do Lobo, Carcavelos, Setúbal e Beloura (em duas ocasiões), Tiago Cação terá de passar por Fred Gil, estando assim assegurada a presença de pelo menos um português na grande final. O tenista sintrense é o segundo cabeça de série e levou a melhor no último encontro entre ambos, precisamente numa final na Beloura, mas Cação tinha ganho os dois encontros disputados anteriormente na temporada.

Mas a participação de Tiago Cação na jornada desta sexta-feira não se fica por aqui, porque ao lado de Francisco Cabral tem ainda a disputar a meia-final de pares, onde volta a encontrar Niklas Schell (que se faz acompanhar do também alemão Patrick Mayer).

Tiago Cação (3/POR) vs. Niklas Shell (ALE), quartos de final do Palmela Open:

Publicado por Raquetc em Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."