João Monteiro vence batalha portuguesa de três horas e está nos quartos de final

João-Monteiro

PALMELA – Poucos minutos depois de Francisco Cabral, também João Monteiro inscreveu o nome nos quartos de final do quadro principal de singulares do Palmela Open, torneio Future onde defende o estatuto de primeiro cabeça de série.

Se na primeira ronda tinha passado pelo compatriota Miguel Semedo, esta quarta-feira o portuense de 24 anos voltou a ter um português como adversário. Desta feita, o amigo Luís Faria — que numa secção 100% lusa já tinha ganho a Gonçalo Falcão.

E foi uma grande batalha aquela a que se assistiu no court principal do SPARKS Tennis Park, com o campeão nacional absoluto de 2016 a vencer por 6-3, 5-7 e 6-3 quando o relógio do encontro já marcava 2h54.

A um primeiro set marcado por alguma controvérsia relativa à qualidade das bolas, que tiveram mesmo de ser substituídas, Luís Faria conseguiu manter-se na luta e ir buscar forças para sair por cima de um segundo parcial muito equilibrado, que deixou tudo em aberto.

E no seguinte foi mesmo o vimaranense o primeiro a estar perto do break, dispondo de 0-30 nos três primeiros jogos de serviço de João Monteiro e, até, um break point. Só que o portuense, já mais experiente, soube anular essas desvantagens e no momento certo chegou à quebra de serviço que lhe permitiu fechar a contenda ao fim de quase três horas de encontro.

Agora, seguem-se os quartos de final. E nessa fase, que se joga na sexta-feira, Monteiro terá pela frente o espanhol Rafael Izquierdo Luque, que levou a melhor num duelo de qualifiers com Adan Freire da Silva. Mas antes, e ainda esta quarta-feira, estreia-se no quadro de pares ao lado de Fred Gil, tendo Fábio Coelho e o mesmo Adan Freire da Silva como adversários.

João Monteiro (1/POR) vs. Luis Faria (POR), 2.ª ronda do Palmela Open:

Publicado por Raquetc em Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."