Nuno Borges oferece tremenda réplica a ex-top 200 mas não passa da estreia

Nuno Borges.8

Uma nova experiência e uma exibição que permite auferir o nível de ténis são algumas das ilações positivas que Nuno Borges pode retirar da noite deste sábado, na qual foi afastado na estreia no qualifying do Challenger de Columbus mas não sem antes ter dado que fazer.

A disputar pela primeira vez na carreira a fase prévia de um torneio desta dimensão, o jovem tenista natural da Maia, de 21 anos e 511.º do ranking, apresentou-se a um muito bom ritmo tendo em conta a ausência de mês e meio do circuito ATP e fez autenticamente a “vida negra” ao sétimo favorito, o belga Joris de Loore (número 437 mundial e antigo 174.º).

Na primeira partida, tudo acabou por se decidir no tiebreak após ambos os jogadores terem servido de forma praticamente imaculada (apenas Borges enfrentou pontos de break – 2 -, mas salvou-os). Nesse desempate, a maior experiência do atleta de 25 anos oriundo de Bruges acabou por fazer a diferença e desse modo de Loore conseguiu adiantar-se no marcador.

Ainda que em desvantagem, o jogador nacional radicado nos EUA nunca desistiu e a verdade é que foi o primeiro e único a dispôr de uma oportunidade de quebra de serviço no segundo parcial.

Porém, Joris de Loore anulou essa chance e tal fez com que o set desembocasse novamente num tiebreak. Aí, de Loore aproveitou novamente uma brecha no serviço de Nuno Borges que se revelou crucial no resultado final de 7-6(2) e 7-6(5), em uma hora e 45 minutos de compromisso.

Apesar de abandonar o evento norte-americano sem qualquer ponto para a tabela mundial, o campeão do Open Internacional das Caldas da Rainha tem motivos para estar satisfeito na medida em que “fez a cabeça em água” a um adversário muito mais habituado a estas andanças e que já tem outra rodagem competitiva.

Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.