Croácia e França terminam o primeiro dia com um pé na final da Taça Davis

Marin Cilic
O número 6 do mundo, Marin Cilic, foi um dos vencedores do dia | Fotografia: Paul Zimmer/Davis Cup

A sexta-feira não podia ter corrido melhor para franceses e croatas. As duas seleções venceram os dois primeiros embates das respetivas eliminatórias e terminaram o dia com um pé na final da Taça Davis — a última como a conhecemos. Quer isto dizer este sábado podem ficar a ser conhecidos os dois finalistas da edição de 2018.

França 2-0 Espanha: Bautista Agut ainda ameaçou o empate

No Stade Pierre Mauroy, em Lille, a seleção gaulesa foi a primeira a pontuar, com o estreante Benoit Paire a dar conta do recado de forma surpreendente no primeiro encontro de singulares, frente a Pablo Carreño Busta. O espanhol ainda ofereceu alguma resistência no primeiro parcial, mas acabou ‘atropelado’ pelos parciais de 7-5, 6-1 e 6-0 em menos de duas horas, numa partida onde Paire chegou a vencer nove jogos consecutivos.

O segundo embate revelou-se bastante mais equilibrado e a dada altura deixou algum nervosismo no público francês. Isto porque Roberto Bautista Agut obrigou Lucas Pouille a jogar um quinto set. No entanto, os gauleses acabaram a sorrir e com o número 19 do Mundo a vencer por 3-6, 7-6(5), 6-4, 2-6 e 6-4.

Croácia 2-0 Estados Unidos: festa em Zadar com direito a recorde

A eliminatória começou da melhor forma para a seleção croata. Borna Coric foi chamado ao primeiro compromisso do dia e, na terra batida de Zadar, levou a melhor sobre Steve Johnson com parciais de 6-4, 7-6(4) e 6-3 — uma vitória incontestável na qual o jovem de 21 anos (e número 18 ATP) mostrou mais uma vez os motivos pelos quais está a fazer uma excelente temporada.

O melhor, contudo, estava reservado para o fim do dia e para o confronto entre Marin Cilic e Frances Tiafoe. O encontro em si trouxe mais uma vitória tranquila para a bandeira croata, com parciais de 6-1, 6-3 e 7-6(5), mas o destaque vai todo para o recorde alcançado pelo jogador da casa: o número 6 mundial venceu pela 37.ª vez na competição e é agora o tenista croata com mais triunfos na prova, ultrapassando Ivan Ljubicic (36).

Ou seja, em ambos os casos França e Croácia partem para o segundo de três dias de meias-finais com um pé (e meio?) na grande final, podendo inclusive carimbar o apuramento já com o encontro de pares.

E que maior motivação do que em jogo estar a presença na última final da Taça Davis a contar com uma final em casa de uma das seleções intervenientes? 

Adepto do desporto em geral mas com especial carinho pela "bolinha saltitona". O bichinho surgiu ainda Rafael Nadal não tinha mangas e não mais saiu. Chegada a oportunidade de me juntar ao Raquetc, juntamente com a minha ambição de ser jornalista, foi fácil aceitar juntar-me à equipa.